Siga-nos

Perfil

Expresso

Nova crise em Gaza

Israel responde a "ataque da hipocrisia internacional"

O primeiro ministro de Israel já respondeu ao coro de críticas com que a comunidade internacional condenou o raide militar de segunda feira. São "um ataque da hipocrisia internacional" afirmou Benjamin Netanyahu. Clique para aceder ao índice dodossiê Nova crise em Gaza

O primeiro ministro israelita recordou hoje que o bloqueio imposto a Gaza tem como principal objectivo prevenir eventuais ataques a Tel Aviv e Jerusalém.

Clique para aceder ao índice do dossiê Nova crise em Gaza

As palavras de Benjamin Netanyahu surgem na sequência da condenação unânime da comunidade internacional ao ataque do comando israelita a uma frota com ajuda humanitária esta segunda feira, 31.

Para o chefe do Governo de Israel estas críticas são "um ataque da hipocrisia internacional".

O bloqueio de Israel à Faixa de Gaza está no centro de uma nova crise provocada pelo raide militar de segunda feira, 31, contra uma frota de seis navios com ajuda humanitária e mais de 600 pessoas a bordo. Conheça os quês e os porquês desta nova crise:

QUANDO: Israel e o Egito impuseram o bloqueio desde de que a organização radical islâmica Hamas assumiu de forma violenta o controlo do território em Junho de 2007.

PORQUÊ: Israel considera o Hamas uma organização terrorista responsável pelo disparo sistemático de rockets contra o sul do seu território e por dezenas de ataques de bombistas suicidas. Para o Egito, o Hamas também constitui uma fonte de preocupação na medida em que poderá incentivar a proliferação de outros movimentos fundamentalistas islâmicos.

OBJECTIVO: Impedir o fornecimento de armas ao Hamas e enfraquecer a popularidade deste movimento entre os habitantes do território.

O QUE É PERMITIDO: Todas as semanas Israel faz chegar a Gaza 15.000 toneladas de ajuda humanitária, incluindo alimentos, vestuário e calçado bem como alguns materiais de construção.

O QUE É PROIBIDO: Armas e explosivos, cimento, ferro e aço, fertilizantes e outros produtos que Israel considera que o Hamas poderia utilizar para fazer explosivos; Bens considerados "de luxo".

RESULTADOS: O Hamas montou uma rede de contrabando que se processa através de túneis sob a fronteira entre Gaza e o Egito. É assim que consegue fazer chegar ao território armas, explosivos, alguns materiais de construção e bens de consumo. A população local continua a apoiar o Hamas e a culpar os israelitas pela miséria em que vivem. Há algum tempo que a comunidade internacional exige o fim do bloqueio a Gaza.