Siga-nos

Perfil

Expresso

Nova crise em Gaza

Israel deteve 480 passageiros

Os passageiros que se encontravam a bordo da frota de militantes pró-palestinianos permanecem detidos em Israel. Clique para aceder ao índice do dossiê Nova crise em Gaza

Quatrocentos e oitenta passageiros, que estavam a bordo frota de militantes pró-palestinianos atacada pela marinha israelita rumo a Gaza, permanecem hoje detidos em Israel, enquanto outros 48 estão em vias de expulsão, anunciou a rádio pública israelita.

Clique para aceder ao índice do dossiê Nova crise em Gaza

Os 480 prisioneiros estão agrupados numa prisão de Ashod, no Sul de Israel, enquanto os outros 48 foram conduzidos para o aeroporto internacional Ben Gurion para serem expulsos para o seu país de origem.

Para além disso, 45 outros passageiros, na sua maioria de origem turca, foram hospitalizados em diferentes unidades hospitalares.

Seis soldados israelitas feridos durante a operação também estão hospitalizados, acrescentou a rádio.

Pelo menos nove passageiros foram mortos ontem quando comandos israelitas tomaram de assalto a frota internacional que se dirigia para a Faixa de Gaza, segundo o exército israelita.

Passageiros estão a ser interrogados

Os passageiros detidos vão ser interrogados durante o dia e as autoridades vão decidir caso a caso os que serão libertados e aqueles contra os quais vão ser iniciados processos judiciais.

Entre os prisioneiros figura Kamal Khatib, presidente do Alto Comité de Acompanhamento dos Árabes Israelitas, a mais importante organização desta comunidade de 1,3 milhões de pessoas, que apelou hoje a um dia de greve e de manifestações em Israel.

Um dos líderes islamitas árabes israelitas, Raëd Salah, líder da asa radical do Movimento islâmico em Israel, que se encontrava a bordo de um dos barcos, está detido numa esquadra de polícia de Ashdod.

Para além disso, a polícia israelita encontra-se hoje em estado de alerta para enfrentar "eventuais desordens" entre os Árabes israelitas.

Dois outros barcos a caminho

Entretanto, o vice-ministro da Defesa, Matan Vilnaï, anunciou que Israel vai impedirá qualquer outro barco humanitário internacional de entrar nas águas da Faixa de Gaza.

"Não permitiremos que nenhum barco possa chegar a Gaza e fornecer o que se tornou numa base terrorista que ameaça o coração do Israel", declarou Vilnaï à rádio pública.

Os responsáveis da "frota da liberdade", que organizaram uma coluna humanitária internacional abordada ontem por comandos da marinha israelita, anunciaram que dois outros navios estão a caminho.

Uma das organizadoras, Greta Berlim, indicou, no entanto, que a próxima tentativa de quebrar o bloqueio israelita da Faixa de Gaza só acontecerá dentro de dias.

"O (cargueiro) Rachel Corrie encontra-se atualmente ao largo das costas de Itália e a outra embarcação está em reparação", disse.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.