Siga-nos

Perfil

Expresso

Nova crise em Gaza

50 cidadãos turcos expulsos de Israel

Cinco dezenas de cidadãos turcos detidos num raide contra uma frota humanitária internacional a caminho de Gaza foram expulsos de Israel. No total, mais de 300 turcos devem sair do país.

Um primeiro contingente de 50 cidadãos turcos, detidos num raide contra uma frota humanitária internacional a caminho de Gaza, deixou hoje a prisão de Beersheva (Sul) para ser expulso de Israel, anunciou um responsável governamental israelita. Este assalto provocou uma onda de protestos internacional.

"Um primeiro contingente de 50 cidadãos turcos, detidos a bordo da frota, deixou, em autocarros, a prisão de Beersheva para se deslocar para o aeroporto Ben Gourion (perto de Telavive) de onde deve ser expulso", indicou o responsável.

Ao todo, mais de 300 cidadãos turcos devem ser expulsos, e dois ou três aviões esperam-nos com esse objetivo", precisou a mesma fonte.

Israel acelera expulsões

Antes, um comunicado do gabinete do Primeiro-ministro israelita, Benjamin Netanyahu, tinha anunciado que todos os cidadãos estrangeiros detidos durante o raide contra a frota humanitária serão expulsos de Israel.

Esta decisão foi tomada pelo gabinete de segurança (sete ministros) presidido por Netanyahu, indicou o texto. De acordo com a rádio militar israelita, as últimas expulsões terão lugar na quinta feira.

48 passageiros feridos

Comandos da marinha israelita lançaram, na segunda feira, em águas internacionais um raide contra uma frota internacional que transporta centena de militantes pró-palestinos e toneladas de ajuda humanitária para o enclave palestiniano, submetido a um bloqueio israelita.

Segundo o exército israelita, nove passageiros foram mortos e sete soldados ficaram feridos a bordo do ferry turco Mavi Marmara, a maior das seis embarcações, que transportava 600 pessoas.

Quarenta e oito outros passageiros ficaram feridos, segundo a rádio militar israelita.

Vários países cujos cidadãos foram detidos pelos militares israelitas apelaram à sua libertação.

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico