Siga-nos

Perfil

Expresso

Face Oculta

Caso TVI: Mota Amaral proíbe uso de referências às escutas (vídeo)

A decisão do presidente da comissão de inquérito vai ao encontro do PS mas contraria o PSD, uma vez que Pacheco Pereira exigiu ontem utilizar o conteúdo das escutas ainda que à porta fechada. (Veja vídeo SIC no fim do texto) Clique para visitar o dossiê Face Oculta

O presidente da comissão de inquérito à atuação do Governo na tentativa de compra da TVI, Mota Amaral, proibiu as referências ao conteúdo das escutas telefónicas na comissão e no relatório, considerando que seria inconstitucional.

Clique para aceder ao índice do DOSSIÊ FACE OCULTA

"Podem ser objeto de exame por parte dos membros da comissão e podem sugerir-lhes diligências instrutórias (...) mas o conteúdo dos resumos das escutas não pode ser invocado perante a comissão nem constar do respetivo relatório", disse Mota Amaral.

O presidente da comissão de inquérito falava aos jornalistas no final de uma reunião de coordenadores da comissão de inquérito.

A decisão consta de um despacho do presidente da comissão hoje aprovado "por maioria da mesa" da comissão, ou seja, com o voto favorável de Mota Amaral e do vice-presidente Osvaldo Castro do PS.

O vice-presidente João Almeida, do CDS-PP, não se pronunciou.

A decisão de Mota Amaral vai ao encontro do que defendia o PS na comissão e contraria o PSD, uma vez que o deputado Pacheco Pereira exigiu terça feira utilizar o conteúdo das escutas na comissão de inquérito ainda que à porta fechada.

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.