Siga-nos

Perfil

Expresso

Dia D de Sócrates

Cavaco ouve hoje os partidos

Dois dias depois da apresentação do pedido de demissão de José Sócrates o Presidente da República chama os líderes partidários a Belém. Clique para visitar o dossiê Dia D de Sócrates

O Presidente da República recebe hoje ao longo da manhã e tarde todos os partidos com assento parlamentar, dois dias depois do primeiro-ministro ter apresentado a demissão do cargo.

Clique para aceder ao índice do dossiê Dia D de Sócrates

A primeira força política a ser recebida pelo chefe de Estado, Aníbal Cavaco Silva, será o partido ecologista Os Verdes, às 09h30, que levará a Belém uma delegação composta pelo deputado José Luís Ferreira e pelos dirigentes Francisco Madeira Lopes e Manuela Cunha.

Às 10h30 terá lugar o encontro do chefe de Estado com a delegação do PCP, que irá integrar o secretário-geral do partido, Jerónimo de Sousa, e os membros da comissão política comunista Jorge Cordeiro e Fernanda Mateus.

Ainda da parte da manhã, às 12h40, será recebida a delegação do Bloco de Esquerda, composta pelo líder do partido Francisco Louçã, o líder parlamentar José Manuel Pureza e o deputado Luís Fazenda.

Depois de almoço, a primeira audiência acontecerá às 15h00, com o CDS-PP, que levará a Belém a maior delegação: o líder, Paulo Portas, o líder parlamentar, Pedro Mota Soares, e os vice-presidentes do partido Teresa Caeiro, Assunção Cristas, Mariana Ribeiro Ferreira e José Manuel Rodrigues.

Para uma hora depois está agendado o encontro do Presidente da República com o PSD, com o líder social-democrata, Pedro Passos Coelho, a liderar uma delegação que integra ainda o secretário-geral do partido, Miguel Relvas, e o líder parlamentar, Miguel Macedo.

A última delegação a ser recebida pelo chefe de Estado será a do PS e irá ser composta pelo ministro da Economia, Vieira da Silva, o líder parlamentar, Francisco Assis, e a eurodeputada Edite Estrela.

A realização de audiências com os partidos com representação parlamentar foi anunciada ainda na quarta-feira, na mesma nota da Presidência da República em que era divulgado que o primeiro-ministro, José Sócrates, tinha pedido a demissão do cargo.

Na nota de Belém era, contudo, sublinhado que o Governo se mantém "na plenitude de funções até à aceitação daquele pedido".

"Com vista à resolução da situação política decorrente do pedido de demissão do primeiro-ministro, o Presidente da República, nos termos constitucionais, irá promover, no próximo dia 25, audiências com os partidos representados na Assembleia da República", era ainda referido no comunicado da Presidência da República.

De acordo com a Constituição, o Presidente da República só pode dissolver o Parlamento e convocar eleições legislativas antecipadas depois de ouvidos os partidos políticos e o Conselho de Estado.

A Constituição não estabelece, no entanto, qualquer prazo nem para a aceitação do pedido de demissão do primeiro-ministro, nem para a dissolução da Assembleia da República.