Siga-nos

Perfil

Expresso

Bento XVI em Portugal

Fiéis "esquecem" a crise e vivem espiritualidade

Os fiéis, engolidos da espiritualidade da cerimónia, esqueceram os anunciados problemas financeiros do país e direcionaram o discurso para um "momento de viragem". Clique para aceder ao índice do dossiê Bento XVI em Portugal

As medidas de austeridade anunciadas quinta feira pelo Governo passaram hoje totalmente desapercebidas com a chegada do Papa Bento XVI aos Aliados, no Porto, última paragem em Portugal antes da sua partida para Roma.

Clique para aceder ao índice do dossiê Bento XVI em Portugal

Os fiéis, engolidos da espiritualidade da cerimónia, esqueceram os anunciados problemas financeiros do país e direcionaram o discurso para um "momento de viragem".

"Era talvez isto que faltava ao país. A visita do Papa trouxe energia positiva para o futuro", disse à Lusa Margarida Pereira, 27 anos.

Mudar o mundo

Pedro Barata, que chegou ao local de madrugada para "marcar lugar", disse acreditar na "força da solidariedade" e pediu "mais união entre os povos".

"De mãos dadas seremos capazes de modificar Portugal e o mundo. É essa a minha fé", disse Pedro.

Pouco dada a problemas económicos, Isabel Trigo, de Guimarães, admitiu estar a viver "um momento mágico" e garantiu que Portugal saberá "unir-se" em torno dos "reais problemas".

"E esses [reais problemas] são os do espírito. Não são os da economia", sustentou Isabel.

A missa da avenida dos Aliados envolveu meio milhar de celebrantes, 450 dos quais eram padres

A missa da avenida dos Aliados envolveu meio milhar de celebrantes, 450 dos quais eram padres

André Kosters/EPA

Hino do Vaticano abriu a celebração

A missa celebrada na avenida dos Aliados por Bento XVI envolve meio milhar de celebrantes, dos quais 450 são padres e os restantes bispos, sendo a maioria destes portugueses.

A missa conta ainda com a presença de dois coros, o principal com 150 vozes, constituído por elementos da Orquestra Nacional do Porto e do Coro Polífónico da Lapa, sob a direção de Eugénio Amorim.

O organista do coro é Filipe Venâncio, mestre capela da Igreja da Lapa, que toca no órgão Allen já usado nas celebrações do Papa em Lisboa.

O coro secundário tem cerca de três mil vozes e é composto por elementos de 120 coros do norte, orientados pelo cónego Ferreira dos Santos.

O hino do Vaticano abriu a celebração nos Aliados, seguido de "Tu és Petrus".

O altar tem 39 metros por 12, sendo que a cátedra onde o Papa se encontra fica três degraus acima do restante, simbolizando a trilogia Pai, Filho e Espírito Santo.

Cavaco no Porto

A acompanhar esta celebração estão diversas personalidades, destacando o Presidente da República, Cavaco Silva, e a sua mulher, bem como o presidente do Supremo Tribunal Administrativo, Lúcio Alberto Barbosa, o ministro da Defesa, Santos Silva, em representação do Governo.

Estão também presentes o Chefe de Estado Maior do Exército, general José Luís Ramalho, o chefe da casa Real portuguesa, Duarte Pio, a governadora civil do Porto, Isabel Santos, vários autarcas da zona norte, cônsules e empresários da região.

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.

Saiba todos os passos e horários do programa oficial da visita do Papa Bento XVI a Portugal, entre 11 e 14 de Maio clicando em Programa da visita de Bento XVI a Portugal