Siga-nos

Perfil

Expresso

Second Life: O jogo da vida

Um Mercedes ao preço da chuva para quem tem segunda vida

A Mercedes Benz tem um serviço exclusivo para os seus clientes da Classe C. Sempre que existem actualizações para o veículo, elas são oferecidas. O carro é virtual, custa cinco dólares e tem de tudo, ou não estivessemos em Second Life.

Só mesmo num universo virtual uma empresa do sector automóvel se podia permitir oferecer actualizações grátis de um carro. De facto, os compradores de um modelo virtual de Classe C da Mercedes Benz, que custa 1500 dólares Linden (cerca de 5 dólares americanos), têm direito a vantagens que o comprador do modelo real nunca terá. É um sinal mais da diferença entre os dois mundos – o de cá, real, e o de lá, virtual – mas que em nada impede as empresas de usarem cada vez mais Second Life, para promoção dos seus produtos.

O caso da Mercedes Benz é sintomático dessa mudança de estratégia. A marca entrou em força no universo dos mundos virtuais em na Primavera, com uma festa virtual de lançamento do seu modelo virtual do Classe C, uma cópia fiel do modelo que, no seu segmento de mercado – e no mundo real – é o primeiro a ter um certificado de ambiente, com uma redução efectiva de – em média – nove toneladas de emissões de dióxido de carbono durante a vida útil de cada veículo. A versão de Second Life é, como se calcula, ainda menos poluente.

Eu é que sou o condutor da semana

A apresentação do novo Classe C em Second Life serviu também para assinalar a abertura da Ilha Mercedes Benz, um espaço de promoção da marca aberto 24 sobre 24 horas todos os dias da semana. E que para manter o fluxo de visitantes oferece passatempos como o de “condutor da semana”, desafiando quem passa a fotografar-se junto de um Mercedes e a enviar a foto, para depois surgir na imensa exposição visível nos terrenos da marca.

Segundo Olaf Göttgens, vice-presidente de comunicação da área de veículos de passageiros da marca, “a comunicação digital foi definida como uma componente permanente da Mercedes Benz. Com Second Life estamos, assim, a usar uma plataforma de comunicação para atingir os clientes existentes e potenciais”. Para aquele responsável da empresa “Em Second Life a Mercedes Benz definiu novos padrões, tanto visualmente como em termos de conteúdo. Ao mesmo tempo oferecemos a possibilidade de experimentar a marca e os seus produtos num ambiente virtual”.

Acelerar na pista de testes

De facto, os visitantes do espaço da Mercedes – situado numa zona do distrito Sudoeste de Second Life – podem experimentar um dos novos modelo Classe C na exigente pista de ensaios da Mercedes que rodeia o espaço de exposição. E podem mesmo personalizar o carro, escolhendo o tipo de jantes e cor, antes de se lançarem à estrada, para testarem o sinuoso traçado, a condução em neve ou a emoção de um salto no vazio como os habitualmente mostrados em filmes de acção.

O traçado da pista segue o modelo das auto-estradas alemãs, e houve o cuidado de criar zonas de obstáculos para ensaio das características do veículo. Condições atmosféricas variáveis permitem testar o veículo sob diferentes condições de piso. E no futuro a Mercedes Benz pretende disponibilizar aos visitantes mais modelos da sua gama para ensaio no local. Depois, se decidir, pode optar pela compra... do modelo virtual ou até de um real. Os links estão disponíveis no próprio local de exposição.

Música ao volante

O edifício central do complexo da Mercedes alberga um pequeno museu com o historial do construtor, além de uma área de lazer servida por um grande ecrã passando vídeos da marca. Diversa documentação, com vídeos e fotos para descarregar para o computador pessoal, acesso a páginas na Web, integram o espaço, onde um funcionário da Mercedes Benz – através do seu avatar –  passa algum tempo nos momentos de maior afluência, para responder a questões dos clientes. E a marca manteve no local, na fase inicial, um assessor de Imprensa uma hora diária, para contactos com os jornalistas. Ou as suas representações virtuais.

Como é de regra em locais de exposição, os visitantes não saem de mãos a abanar. Em Second Life não se recebe um Mercedes Classe C grátis, mas o visitante pode solicitar o seu fato de piloto de Formula 1, para usar quando desejar. E pode mesmo transferir para o seu computador uma compilação de temas de novos grupos de música, numa oferta da Mercedes Benz. Essa colectânea de faixas em MP3 serve para divulgar novos autores em busca de visibilidade. Para os autores basta contactar a Mercedes Benz através do espaço em Second Life e propor a inclusão de temas próprios na colectânea. Sob a chancela Mixed Tape, o fabricante reúne uma selecção musical que é actualizada com regularidade. Um verdadeiro serviço de “música ao volante.”

CURTAS DE SECOND LIFE

Armani abre loja

Uma loja virtual com a marca Armani vai surgir em Second Life. Confirmam-se, assim, os rumores de que Giorgio Armani segue na pista de outros nomes da moda que já entraram em SL. Mas a estratégia da marca pode ser diferente, de modo a que o nome vingue no virtual como sucede na realidade. De qualquer modo a marca Armani já está em SL, ainda que em produtos de contrafacção ou pelo menos não oficiais.

Época de safaris

Os safaris abriram em Second Life. Não numa África virtual mas por todo o mundo, pensados para profissionais do marketing que pretendem saber o que é SL, para depois explicarem aos clientes as vantagens de assentar presença naquele mundo. É uma contribuição importante para se evitarem os erros cometidos até agora por tantas empresas e organizações. A iniciativa é da empresa britânica de marketing KZero.

Multibanco virtual

Se a IBM levar por diante a sua ideia, no futuro será possível fazer pagamentos a partir de máquinas de multibanco virtuais, em Second Life. A afirmação é de Steve Mills, da IBM, que pretende usar a sua Smart Bank Application no mundo da Linden Lab, mas também na sua própria plataforma, Multiverse.

O filme da Paramount

A Paramount Home Entertainment promove, até ao final de Agosto, o lançamento em DVD do seu filme Blades of Glory. Onde? Em Second Life, claro. Os visitantes que consigam cumprir os circuitos através das 12 pistas de gelo podem candidatar-se a um prémio de 10 mil dólares Linden. Oferta de réplicas dos fatos do filme a todos os visitantes e uma série de animações são regra. Uma pergunta: o que faz um filme para maiores de 13 num mundo virtual para maiores de 18 anos?