Siga-nos

Perfil

Expresso

Sabores Únicos

Da terra quente transmontana

Produzido em Trás-os-Montes a partir do leite de ovelhas da raça churra, o queijo Terrincho come-se geralmente com pão e vinho, como entrada ou sobremesa. O chefe Guerrieri propõe outras combinações.

Jorge Simão (coordenação e fotografias) e Teresa Resende (texto)

Nasceu em Nápoles há 39 anos, cresceu no estado de Nova Iorque, em Long Island, e vive há dez anos em Portugal. Guerrieri, o único nome pelo qual gosta de ser conhecido, define-se como um "italisbonyorker". E é isso mesmo que a sua cozinha reflecte: a alegria da gastronomia italiana, com uma pitada aqui e ali de sabores portugueses e a liberdade nova-iorquina para arriscar novas receitas. Com três restaurantes reunidos numa única rua lisboeta, a Artilharia Um, e um quarto no Palácio Sotto Mayor, perto do Saldanha, Guerrieri propõe três tipos de comida.

No Mezzaluna, o mais antigo e afamado, o forte são as entradas e as massas italianas, embora com algumas surpresas, como uma farinheira casada com queijo mozarela. No restaurante La Brus'K'etta, a típica bruschetta italiana dá lugar à bruschetta italo-portuguesa. Mas a menina dos olhos do chefe Guerrieri, neste momento, é o City Sandwich, um sítio de "sandes 'gourmet' personalizadas, a um preço acessível e para quem não tem tempo de comer de garfo e faca". O primeiro espaço com este nome abriu em 2005; este ano, deverá abrir o terceiro, o quarto e talvez o quinto City Sandwich de Lisboa. Com este projecto, pelo qual tem "um carinho especial", Guerrieri quer "inspirar as novas gerações", mostrando-lhes que é possível pegar nalguns ingredientes tradicionais portugueses e fazer sandes "sem maionese, sem molhos gordurosos, nem restos de frango empastados".

Tal como se pode confeccionar uma sandes com carpaccio de torresmos, cebola, tomate e queijo de Nisa, também se pode usar o típico queijo transmontano Terrincho para cobrir um risoto de açafrão ou rechear um maracujá, as duas sugestões do chefe para esta edição. Ambas as receitas são fáceis de executar, como aliás todas as que Guerrieri apresentará nas próximas quatro semanas, e foram propositadamente criadas para os leitores do "Expresso".

2 copos de arroz; 1 colher de cebola picada; 1 pitada de açafrão; 1 copo de vinho branco; meio queijo Terrincho; sal e pimenta q.b. Aloure a cebola, junte o arroz e cubra com o vinho branco. Reduza o vinho a 50%, mexendo sempre. Junte o açafrão, adicione água quente (uma concha de cada vez) até o arroz estar cozido. Tempere com sal e pimenta. Lamine o queijo Terrincho na fiambreira e forre quatro tigelas pequenas com as fatias de queijo, deixando uma parte das fatias de queijo de fora das tigelas. Encha as tigelas com o arroz e sele-as com o queijo que ficou de fora. Desenforme o arroz sobre os pratos. Sirva como entrada ou como prato principal, bastando para isso duplicar a quantidade dos ingredientes.

Dois maracujás; uma colher de sopa de queijo Terrincho picado em cubos para cada metade do fruto; hortelã q.b. Corte os maracujás ao meio; retire a polpa, junte-lhe o queijo Terrincho e a hortelã picada e volte a rechear cada uma das metades com os ingredientes já misturados. Sirva como entrada, snack ou sobremesa. Também pode acompanhar uma salada mista verde, temperada só com azeite, sal e pimenta, num brunch.

"Restaurante Mezzaluna" Rua Artilharia 1, 16 Telef. 213 879 944 Lisboa