Siga-nos

Perfil

Expresso

Referendo sobre o Aborto

César violou neutralidade

O presidente do governo regional dos Açores, Carlos César, apelou ao voto no Sim no referendo do próximo dia 11. O PSD-Açores já se queixou à Comissão Nacional de Eleições.

O PSD-Açores apresentou uma queixa à Comissão Nacional de Eleições contra o líder regional do PS e presidente do governo regional dos Açores, Carlos César, por alegada violação da neutralidade e imparcialidade a que os titulares de cargos públicos estão obrigados pela lei do referendo.

Numa declaração única, Carlos César, apelou, na quarta-feira, simultaneamente à participação dos açorianos e ao voto no Sim no referendo do próximo dia 11. O apelo foi difundido no «site» oficial através do Gabinete de Apoio à Comunicação Social, serviço da Presidência do Governo Regional. A reacção do PSD não se fez esperar, pedindo a intervenção da CNE.

“Como presidente do Governo Regional espero que desta vez um maior número de açorianos exerça o seu direito de voto no domingo. O voto no referendo, não é um voto partidário, nem um voto religioso. A prova é que há pessoas que votam no PS e votarão Não no referendo, que votam no PSD e votarão Sim e há um imenso número de católicos que também votarão Sim. O importante é, votar Não ou votar Sim, votar neste referendo”, afirmou Carlos César. E, de imediato apelou e justificou o voto no Sim: “Como cidadão entendo este voto como uma emanação da nossa consciência social, como um apuro do nosso humanismo e como uma resposta ao mundo em que vivemos. Por isso votarei Sim”.

A declaração desta semana foi a primeira intervenção de Carlos César na campanha do referendo. Os socialistas dos Açores tinham já anunciado na Região a sua opção pelo Sim mas através de figuras secundárias do partido, sem o envolvimento visível de membros do governo.