Siga-nos

Perfil

Expresso

Referendo sobre o Aborto

Beleza pelo Não, mas ''frustrada''

"Frustrada" por nada ter sido feito nos últimos anos para prevenir o aborto, Leonor Beleza resistiu entrar na campanha mas Rebelo de Sousa convenceu-a. A ex-ministra da Saúde está no «site» do professor, a dizer Não.

Depois de muito resistir, Leonor Beleza acabou por aceitar participar no «site» 'Assim Não' de Marcelo Rebelo de Sousa, em defesa do Não no referendo de dia 11. Num vídeo de cinco minutos gravado ontem à noite, a ex-ministra da Saúde diz querer ''deixar muito claro'' que ''a solução não é desproteger a vida'' e, na sua opinião, é isso que acontece quando ''o valor da vida é esquecido em função de uma vontade'' – a da mulher.

''O valor da vida não pode ser esquecido em função de uma vontade que não decorra de um confronto de valores. Para mim, assim não!'', afirma Beleza no vídeo que aceitou gravar para o «site» do seu amigo e companheiro de partido. E onde confessa ter tido a tentação de não se envolver nesta campanha, por se sentir frustrada com tudo o que devia ter sido feito para prevenir o aborto, e não foi, incluindo pelos adeptos do Não, desde o último referendo até hoje.

''Acredito, desde que me conheco, que a capacidade da mulher controlar a sua fertilidade é indispensável a uma gestão harmoniosa da sua vida e ao bem estar das famílias'', afirma Leonor Beleza, confessando sentir ''alguma frustração'' por nada do que ela própria propôs, há nove anos, em matéria de planeamento familiar e prevenção do aborto, se ter tornado realidade.

Implicitamente, Beleza critica os governos do PSD e do CDS que nada fizeram neste domínio e a quem, na sua opinião, caberia uma responsabilidade acrescida. A ex-ministra sublinha que enquanto ''para os partidários do Sim apenas a alteração da lei resolveria todos os problemas'', do lado do Não, ''tirando honrosíssimas excepções, muitos não estiveram disponíveis para fazer o que era preciso'',

Por isso, a ex-ministra desta vez quase não deu a cara na campanha – ''a minha frustração pessoal levou-me a não ter uma participação muito activa neste referendo. Tenho pena que nove anos depois tenhamos aprendido pouco'', afirma. O convite e a pressão de Marcelo para que o silêncio de Leonor Beleza não fossem confundidos com qualquer mudança de posição foram determinantes para que a ex-ministra acabasse por aceitar clarificar as coisas. No referendo de 1998, Beleza, então vice-presidente do PSD (Marcelo era o líder) foi o rosto escolhido para fazer a ponte com os movimentos do Não. E fez campanha intensa pela posição que acabaria por ganhar.