Siga-nos

Perfil

Expresso

Presidência Portuguesa da UE

Aldeia do Desenvolvimento em Lisboa

O universo internacional do desenvolvimento vai reunir-se em Lisboa durante três dias de intenso debate dedicado às alterações climáticas. 

Cristina Peres

Cristina Peres

Jornalista de Internacional

A segunda edição das Jornadas Europeias do Desenvolvimento (European Development Days), que decorrerá em Lisboa, de 7 a 9 de Novembro, no âmbito da presidência portuguesa do Concelho da União Europeia (UE), tem por objectivo primordial desenvolver perspectivas europeias nas correntes de pensamento relativas ao desenvolvimento, já que a UE contribui com 57% da ajuda global ao desenvolvimento.

Três dias de intenso debate dedicado ao tema deste ano - Alterações Climáticas e Desenvolvimento - permitirão "consolidar a perspectiva europeia no sistema", disse o Secretário de Estado dos Negócios Estrangeiros e Cooperação, João Gomes Cravinho.

As Jornadas do Desenvolvimento, iniciativa da Comissão Europeia que se pretende que venha a ser anual, desenvolvem-se ainda na perspectiva de aproximar a União dos cidadãos e de permitir que a opinião pública portuguesa aceda e conheça mais detalhadamente um dos temas dominantes da actualidade.

Estarão presentes nas Jornadas o Presidente das Maldivas, um dos países que mais rápida e profundamente sofrerá com as alterações climáticas caso não se inverta a tendência actual e, na tarde de dia 8, terá lugar um painel de alto nível com ex-presidentes que contará com a participação de Mário Soares e Joaquim Chissano, entre outros.

O evento será ainda oportunidade para proceder à assinatura de acordos significativos para a lusofonia. É o caso da assinatura de um acordo entre a Comissão Europeia e o grupo Palop e a do memorando entre a UE e a CPLP, Comunidade dos Países de Língua Oficial Portuguesa, que dará a esta um estatuto semelhante ao da Commonwealth e da Francophonie.

Um dia aberto ao público

Durante os três dias terá lugar um conjunto intenso de painéis, mesas redondas e discursos de oradores que são peritos destacados na cena internacional, bem como um conjunto de actividades paralelas. O dia 8 será aberto ao público em geral das 10h às 18h e a Aldeia do Desenvolvimento, que funcionará na Feira Industrial Portuguesa no Parque das Nações, será uma espécie de feira com 50 stands de diferentes instituições e agências europeias ligadas às alterações climáticas e ao desenvolvimento. Para o dia 8 foi feita uma programação artística que inclui a participação de artistas do Chapitô e concertos de Carlos Martins e Marisa.

João Gomes Cravinho sublinhou ainda que foi adoptado um modelo para estas Jornadas de "debate aberto onde possam surgir ideias, críticas e dúvidas por parte de uma diversidade de actores", não se tratando de uma ocasião para aprovar "um documento previamente elaborado onde a reflexão poderia passar a ser irrelevante".