Siga-nos

Perfil

Expresso

Desaparecimento de Madeleine McCann

"Times" diz que sangue não é de Maddie

Os vestígios de sangue descobertos no quarto onde Madeleine desapareceu não são da menina. A informação, ainda sem confirmação oficial, foi avançada pelo "The Times". Outros jornais britânicos noticiam que a PJ sabe que a menina morreu.

É uma informação avançada pelo "The Times", mas não confirmada pelo laboratório de Birmingham. Segundo o jornal britânico, os vestígios de sangue recolhidos do quarto de onde Madeleine desapareceu provêm de um homem do “sub-grupo europeu do nordeste”.

O diário avança esta informação, citando um relatório de quatro páginas, referindo que haverá 72 por cento de certeza nesta conclusão devido à degradação da amostra. Um porta-voz do laboratório de Birmingham mostrou-se, no entanto, surpreendido com a notícia pois as análises ainda não foram concluídas. “As análises ainda não terminaram. Não podemos fazer comentários, estamos surpreendidos com o artigo do 'Times'”, declarou à agência France Press um porta-voz do “Forensic Science Service”, para onde foram enviadas as amostras de sangue. Uma fonte próxima do processo declarou mesmo que até ao momento as análises ainda não permitiram qualquer conclusão.

Segundo os tablóides britânicos, a polícia portuguesa sabe que a menina morreu e quem foi o responsável. “Maddie morreu na noite do seu desaparecimento” revela o Daily Mail citando o inspector-coordenador da Polícia Judiciária (PJ), Olegário de Sousa, sublinhando a possibilidade de brevemente serem conhecidos novos suspeitos no caso. O "Daily Express" e o "Daily Star" indicam mesmo que a PJ já sabe quem matou Madeleine. A polícia portuguesa desmente, contudo, esta informação, afirmando que as declarações do seu porta-voz foram mal interpretadas pela imprensa britânica.