Siga-nos

Perfil

Expresso

Eleições em Angola

Governo com mais ministros

O executivo liderado pelo primeiro-ministro, Paulo Kassoma, tem 33 ministros, mais cinco do que o anterior. O Presidente da República indigitou ainda, depois de ouvido o chefe do executivo, dois secretários de Estado.

O Presidente da República de Angola indicou hoje os ministros que vão integrar o novo executivo para a legislatura que arranca oficialmente a 15 de Outubro. 

Na Defesa, José Eduardo dos Santos mantém Kundi Paihama, mas nas Relações Exteriores substitui João Miranda por Assunção Afonso dos Anjos, até agora embaixador em Lisboa.   

Natural de Luanda, Assunção Afonso Sousa dos Anjos, 62 anos, é licenciado em Direito pela Faculdade de Direito da Universidade Clássica de Lisboa e foi embaixador de Angola em Madrid (de 1993 a 2000) e Paris (2000 a 2003) antes de ter sido colocado em Lisboa, a 9 de Maio de 2003.   

No novo executivo mantêm-se os ministros do Interior, Roberto Leal Monteiro "Ngongo", da Administração do Território, Virgílio Ferreira de Fontes Pereira, da Administração Pública, Emprego e Segurança Social, António Pitra Neto, e do Planeamento, Ana Dias Lourenço.   

Permanecem ainda, com as mesmas pastas, os ministros dos Transportes, Augusto Tomas, da Agricultura, Afonso Pedro Kanga, das Pescas, Salomão José Chirimbimbi, da Indústria, Joaquim Duarte da Costa David, das Obras Públicas, Higino Carneiro, da Geologia e Minas, Makenda Ambroise, da Assistência e Reinserção Social, João Baptista Kussumua, dos Antigos Combatentes e Veteranos de Guerra, Pedro José Van-Dunen, e da Comunicação Social, Manuel Rabelais.

O executivo de Luanda conta ainda com pastas novas, como as da Economia, que vai ser ocupada por Manuel Nunes Júnior, do Urbanismo e Habitação, entregue a Diakumpuna Sita José, e das Telecomunicações e Tecnologias de Informação, atribuída a José Carvalho da Rocha. 

Para a Justiça, o Presidente angolano indicou Guilhermina Costa Prata, para as Finanças Eduardo Leopoldo Severino de Morais, com o Comércio fica Maria Idalina Valente. 

O ministro da Hotelaria e Turismo vai ser Pedro Mutindi e dos Petróleos José Maria de Vasconcelos. 

A nova ministra do Ambiente é Maria de Fátima Monteiro Jardim, com a Ciência e Tecnologia fica Maria Cândida Teixeira, na Energia Manuel Viera Lopes e na Saúde José Viera Dias Van-Dunen. 

A Educação tem como ministro António da Silva Neto, a Cultura Rosa Maria da Cruz e Silva. 

A pasta da Família e da Promoção da Mulher foi atribuída a Genoveva da Conceição Lino, enquanto Gonçalves Manuel Muandumba fica com a Juventude e Desportos.     

Como ministros sem Pasta, José Eduardo dos Santos manteve António Bento Bembe e nomeou Francisca do Espírito Santo.   

Foram ainda indicados os secretários de Estado para o Desenvolvimento Rural, Maria Filomena de Fátima Lobão Telo Delgado, e para o Ensino Superior, Adão Gaspar Pereira do Nascimento.