Siga-nos

Perfil

Expresso

Educação em crise

Polícia visita escolas de Ovar

As forças policiais fizeram ronda pelas escolas do concelho de Ovar para questionar os conselhos executivos sobre a taxa de adesão à greve. (Notícia actualizada às 21 horas)

Várias escolas do concelho de Ovar foram hoje surpreendidas pela visita das forças policiais para avaliar a adesão à greve dos professores.

A informação, avançada ao jornal Expresso por alguns professores, foi, entretanto, confirmada pelo Sindicato dos Professores do Norte (SPN).

Os estabelecimentos de ensino de Esmoriz, Maceda, Macedo Fragateiro e Dias Simões são algumas das escolas onde os presidentes dos conselhos executivos foram surpreendidos pela visita dos agentes policiais com questões sobre a adesão à greve, indicou o SPN.

Na maioria destas escolas, a adesão à greve dos professores foi superior a 90% e, em algumas, os conselhos executivos decidiram mesmo fechar o estabelecimento de ensino.

De acordo com o Sindicato dos Professores do Norte, da FENPROF, a adesão à greve na região Norte rondou os 94%, o que significa que terão feito greve mais de 48.700 dos 52 mil professores do ensino público a trabalhar nos concelhos abrangidos.

De acordo com o último balanço do sindicato, Vila Real é um dos distritos com maior adesão, com a percentagem de professores em greve a atingir os 97%.

Neste balanço, o SPN não contabiliza as escolas encerradas, onde não conseguiu obter números rigorosos de adesão à greve.

O comandante da PSP de Aveiro, intendente Manuel Gomes do Vale, desmentiu categoricamente ao Expresso, cerca das 21 horas, que tenha havido qualquer contacto de efectivos da PSP com elementos dos conselhos executivos. "A PSP esteve junto das escolas, como está sempre com o programa 'Escola Segura', hoje o objectivo era garantir a segurança dos alunos caso os estabelecimentos de ensino fechassem devido à greve. Os efectivos da PSP estiveram sempre na rua e nunca houve qualquer contacto com nenhum elemento de conselhos executivos."