Siga-nos

Perfil

Expresso

Educação em crise

José Sócrates lamenta ter ficado sozinho a lutar

"A avaliação é essencial para que o interesse do país seja prosseguido, por isso insisto na avaliação dos professores", disse o primeiro-ministro.

O primeiro-ministro, José Sócrates, lamentou hoje que o Governo tivesse ficado sozinho a lutar pela aplicação do processo de avaliação dos professores.

"O Governo tem sido deixado sozinho nesta batalha apenas por ter defendido que quer um melhor sistema de ensino público para o país", afirmou o primeiro-ministro na conferência do 'Diário Económico' sobre "Como crescer em tempo de crise".

"Nestes últimos três anos, todos reconheceram que sem avaliação dos professores, isso contribuiria para o declínio do sistema de ensino público, mas o Governo foi deixado sozinho, não houve nenhum partido que o acompanhasse", acrescentou.

"A avaliação dos professores é indispensável para a melhoria do sistema educativo em Portugal nos próximos anos", defendeu, acrescentando que "o êxito económico do país está ligado ao desempenho do sistema educativo".

José Sócrates falou do sistema de avaliação dos professores como uma das reformas que o país está a prosseguir, afirmando que o Governo não vai abdicar dela.

"A avaliação é essencial para que o interesse do país seja prosseguido, por isso insisto na avaliação dos professores", disse o primeiro-ministro.

José Sócrates afirmou durante a conferência que a solução para enfrentar a crise que o país enfrenta é recuperar economicamente, focando o esforço em 2009, e fazer reformas, com efeitos a longo prazo.

"O Governo não vai deixar de insistir nas reformas que considera essenciais para aumentar a riqueza do país", concluiu.