Siga-nos

Perfil

Expresso

Remodelação no Governo

Sócrates recusa pressões

O primeiro-ministro recusa a ideia de pressões, no entanto admite que "compreendeu" as pessoas.

O primeiro-ministro, José Sócrates, justificou hoje a remodelação no Governo, com a saída dos ministros da Saúde e da Cultura, na terça-feira, afirmando que "compreendeu" as preocupações das pessoas, especialmente na área da Saúde.

"Não se trata de ceder a pressões. Trata-se de compreender as pessoas e de transmitir melhorias ao sistema", afirmou José Sócrates, após a tomada de posse, no Palácio de Belém, dos novos ministros da Saúde (Ana Jorge) e Cultura (António Pinto Ribeiro), um dia depois da remodelação que ditou a saída de Correia de Campos e Isabel Pires de Lima.

Sócrates admitiu que as polémicas em torno da saúde, com "a demagogia" da contestação, e do encerramento de serviços e urgências, estavam a afectar o Serviço Nacional de Saúde (SNS) e a imagem dos médicos.

A saída de Correia de Campos da Saúde, "a seu pedido", visa "reforçar a confiança dos cidadãos no SNS", justificou ainda o primeiro-ministro