Siga-nos

Perfil

Expresso

Eleições no Reino Unido

Futuro governo está nas mãos de Gordon Brown

O líder dos Democratas Liberais, Nick Clegg, está desapontado com os resultados do seu partido, que perdeu seis deputados em relação a 2005. Clegg, defende que devem ser os Conservadores a formar governo. Clique para aceder ao índice do dossiê dossiê Eleições em Inglaterra.

Os Conservadores devem ter prioridade na formação de um governo, defendeu hoje o líder dos Democratas Liberais, Nick Clegg, que confessou estar desapontado com o desempenho do partido nas eleições britânicas.

Clique para aceder ao índice do dossiê Eleições em Inglaterra

Nick Clegg recordou que durante a campanha expressou a opinião de que o partido com maior número de votos e deputados "tem a prioridade para tentar governar, sozinho ou com outros partidos".

"Mantenho essa perspetiva", vincou, atribuindo ao partido Conservador essa posição.

Penso que cabe agora ao partido Conservador provar que é capaz de tentar governar no interesse nacional", clarificou à entrada da sede do partido, em Londres, onde foi recebido esta manhã por uma multidão de militantes e jornalistas.

O antigo deputado europeu apelou a que "todos os partidos e líderes políticos ajam no interesse nacional".

Para Clegg, "a noite passada foi uma desilusão para os Democratas Liberais", lamentou, referindo-se ao facto de, apesar de ter recolhido mais votos que no passado, ter elegido menos deputados, alguns dos quais "amigos e colegas importantes".

Democratas Liberais perdem seis deputados

Os Democratas Liberais foram o terceiro partido mais votado, com 51 deputados eleitos, menos seis do que em 2005, numa altura em que estão apurados 619 dos 650 lugares na Câmara dos Comuns.

"Muitas pessoas durante a campanha estavam entusiasmadas com a perspetiva de fazer algo diferente, mas parece que quando chegou a altura de votar muitos decidiram ficar com o que conheciam melhor", constatou.

Afirmou também que "esta eleição tornou muito claro que o nosso sistema eleitoral está fragmentado e que simplesmente não reflete as esperança e aspirações do povo britânico", prometendo continuar a lutar pela reforma do sistema.

Contabilizada a maioria dos votos, é certo que nenhum partido britânico conseguiu assegurar a maioria absoluta nas eleições legislativas de quinta-feira, mas os Conservadores são o partido com maior número de votos e deputados.

É matematicamente impossível agora para qualquer dos partidos conseguir eleger os 326 deputados necessários para garantir uma maioria absoluta, o que já não acontecia desde 1974.

O futuro do governo está nas mãos de Brown

O futuro do governo está agora nas mãos do primeiro ministro Gordon Brown que, segundo as normas, tem o direito de tentar negociar uma coligação ou apoios de outros partidos para formar um executivo.

Não há um prazo definido para tal acontecer, pelo que as diligências podem prolongar-se por vários dias.

Se não houver perspetiva de um governo estável, Gordon Brown poderá optar por apresentar a demissão à rainha, que chamará então David Cameron enquanto líder do partido maioritário no Parlamento para o convidar a formar governo.

Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.