Siga-nos

Perfil

Expresso

Corrida à liderança social-democrata

Jardim não é candidato, para já

Alberto João Jardim diz que o próximo líder do PSD será transitório e que não concorre por ter bom senso, deixando em aberta a possibilidade de se candidatar no futuro.

Sara Moura, na Madeira

Alberto João Jardim colocou-se hoje de fora da corrida à liderança do PSD, justificando a decisão com uma questão de bom senso. Jardim, numa conferência de imprensa realizada no Funchal, admitiu estar mais próximo de Pedro Santana Lopes, mas frisou que não vai apoiar nenhum dos candidatos. "No quadro a que chegamos prefiro Santana Lopes", afirmou Jardim.

O próximo presidente do PSD, disse Jardim, será um líder a prazo, daí que não ponha de parte uma futura candidatura à liderança. "Não tenho medo, tenho é o bom senso de não queimar cartuchos", explicou, deixando a porta aberta para concorrer caso o futuro líder social-democrata não consiga derrotar José Sócrates em 2009.

Jardim disse que não faltaram "tropas", agradeceu os apoios recebidos, mas admitiu que as forças que reuniu, poderiam não ser suficientes para vencer com maioria o congresso de Guimarães.