Siga-nos

Perfil

Expresso

Corrida à liderança social-democrata

Jardim disponível

Alberto João Jardim diz ter um projecto "para atraír as grandes massas" e ganhar as legislativas a Sócrates. O líder do PSD/Madeira vai hoje à reunião do Conselho Nacional do PSD. Antes, falará com Santana Lopes.

Alberto João Jardim apresenta-se hoje à noite ao Conselho Nacional do PSD com um projecto "para atrair as grandes massas" que Jardim acredita poder ganhar as legislativas a José Sócrates. O líder do PSD/Madeira vem a Lisboa falar com Pedro Santana Lopes antes da reunião da noite e vai mostrar-se disponível, disposto a testar a receptividade do partido a uma eventual candidatura sua à liderança social-democrata.

A Santana Lopes, Jardim dá uma garantia: consigo, Santana continuaria líder parlamentar. Juntos irão tomar o pulso ao Conselho Nacional e os santanistas continuam a pressionar o próprio Santana a avançar caso Jardim acabe por não ir. No discurso que fez no sábado, na Ribeira Brava, no final da visita de Cavaco Silva à Madeira, Alberto João já se tinha mostrado "preocupado com a situação nacional do partido" e defendeu, na altura, que "o PSD, face ao descalabro nacional, encontra-se ainda em condições de ganhar em 2009".

Para tal, Jardim propõe uma liderança que se concentre em oito grandes questões "sem perder tempo com coisas laterais" - Educação, Saúde, Segurança, Justiça, Impostos, combate ao capitalismo selvagem, Emprego e recuperação da classe média. E que assuma "um discurso mobilizador e popular, feito para atraír as grandes massas, optando pelos comícios, em vez dos jantares de família política".

Na altura deste discurso, Manuela Ferreira Leite ainda não tinha anunciado a candidatura.Entretanto, Jardim - que se diz "um general sem tropas" - decidiu vir a Lisboa testar as hostes e tem em Santana Lopes, que ontem saiu da reunião da direcção do partido com um enigmático "até breve!", um cúmplice nesta estratégia de avaliação das bases do partido que ainda não manifestaram o seu apoio à candidata mais conotada com os notáveis do PSD.

Os líderes das duas maiores distritais do partido, Marco António, do Porto, e Carlos Carreiras, de Lisboa, têm hoje um encontro para concertar posições, sendo que nenhum deles apoia Ferreira Leite. Ambos manifestaram já simpatia pela candidatura de Passos Coelho mas foi Carreiras quem, quarta-feira à noite, começou a lançar o nome de Jardim.