Siga-nos

Perfil

Expresso

Corrida à liderança social-democrata

Jardim ausente nas directas

Alberto João Jardim estará em Estrasburgo no dia das directas no PSD. O seu gabinete admite que o líder do PSD/Madeira possa não votar.

Alberto João Jardim não deverá votar nas directas do PSD. O líder do PSD/Madeira estará em Estrasburgo, de 25 de Maio a 1 de Junho, para uma reunião do Comité das Regiões, e o seu gabinete admite que isso o impeça de votar nas eleições para a liderança do partido.

"O sr. Presidente está fora nesses dias e ainda não está decidido se vem ou não excepcionalmente a Lisboa por causa das directas no PSD", afirmou ao Expresso Paulo Pereira, assessor de Jardim no Governo Regional. A convicção de responsáveis do partido na Região é que Jardim optará por nem sequer votar numas eleições que já mostrou motivarem-no muito pouco.

Apesar de já ter manifestado a sua preferência por Pedro Santana Lopes, Jardim também já deixou claro que, na sua opinião, quem quer que ganhe vai perder com José Sócrates nas legislativas.

Quanto aos apoios do PSD/Madeira, estão muito divididos mas o apoio de Miguel Albuquerque, presidente da câmara do Funchal, e do filho de Jaime Ramos, homem forte do aparelho do partido na Região, a Pedro Passos Coelho não dá nenhumas garantias de que as palavras de Jardim a favor de Santana cheguem para este ganhar na Região.

Neste quadro, o líder madeirense poderá aproveitar os seus compromissos de agenda em Estrasburgo para, pura e simplesmente, se distanciar das directas em que se mostrou disponível para concorrer caso tivesse conseguido reunir os apoios necessários para impor a desistência dos restantes candidatos.

Não tendo conseguido esse objectivo, Alberto João Jardim optou por se demarcar do processo, e já anunciou que ainda antes das legislativas quererá ver em que condições é que o entretanto eleito líder do PSD se irá posicionar para defrontar o primeiro-ministro socialista.