Siga-nos

Perfil

Expresso

Mês da sustentabilidade

Árvores para compensar o ambiente

O Rock in Rio, um dos maiores festivais de rock e pop em Portugal, vai compensar as emissões de CO2 para 'proteger' o meio ambiente.

Quem for ver Lenny Kravitz, Amy Winehouse, ou Ivete Sangalo, ou outro nome do cartaz deste ano do Rock in Rio vai estar a usar a música para dar uma ajuda ao ambiente. É que as alterações climáticas são um dos temas do festival. Para isso, a organização vai fazer como em 2006 e plantar árvores para compensar as emissões dos gases de efeito estufa 'provocados' pelo evento.

Roberta Medina, responsável pela organização, sublinha que este tipo de iniciativas pretende criar uma ligação entre a marca e as pessoas. "É a maior contribuição que o Rock in Rio pode dar: estimular a mudança de comportamento individual", frisa.

No último festival foram plantadas 19 mil árvores na Tapada de Mafra. Este ano serão menos, pois  as emissões vão ser reduzidas em 8 por cento pela energia fotovoltaica produzida nas 20 escolas do concurso 'Rock in Rio Escola Solar'.

Com base nos valores do festival de 2006, prevê-se que o consumo de electricidade e combustíveis no recinto vai ser equivalente a 25 horas de uso, 4 horas por dia de 1000 lâmpadas fluorescentes de 20 watts. Já o equipamento musical é equivalente ao consumo energético de 809.000 playstation durante quatro horas.

Leia mais na edição do Expresso na banca ou clicando aqui, onde a edição da banca está disponível para assinantes a partir das 00h01 de sábado