Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Suspeito do assalto a Tancos foi detido antes de viajar para a Austrália

Propriedade da família de João Paulino, detido na Operação Húbris e suspeito do roubo das armas de Tancos. O material furtado esteve guardado neste local

Foto Tiago Miranda

João Paulino, o único civil detido na Operação Húbris, preparava-se para viajar com a família no final de outubro. Autoridades apreenderam dezenas de munições na casa do suspeito. Defesa alega que ia a um casamento na Austrália

Hugo Franco

Hugo Franco

Jornalista

Rui Gustavo

Rui Gustavo

Jornalista de Sociedade

João Paulino, gerente de um bar em Ansião, ia sair de Portugal no final de outubro juntamente com a família. O destino seria a Austrália. Só que os inspetores da Unidade Nacional de Contra-Terrorismo da Polícia Judiciária, que estavam a seguir os seus passos, decidiram agir antes dessa viagem preparada há já algum tempo.

Às 11h35 da terça-feira da semana passada, João Paulino foi detido no âmbito da Operação Húbris, que investiga a descoberta num baldio da Chamusca das armas roubadas em Tancos. "Não havia qualquer perigo de fuga. Ia a um casamento de um familiar na Austrália. Estava agendado há meses e ia com a mãe", conta ao Expresso fonte próxima da defesa. "Já no passado tinha ido à Suíça e voltou", acrescenta.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido