Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

“Temos de nos apressar, senão vamos ficar afogados em plástico”

Sofia Colares Alves, advogada de formação, exerce funções na Comissão Europeia desde 2003. Passou pela Direção-Geral da Concorrência, pelo Tribunal de Primeira Instância das Comunidades Europeias e foi consultora na área da política anti-trust e controlo de cartéis

D.R.

As questões ambientais não estão entre as principais preocupações dos jovens portugueses, mas “é preciso sensibilizá-los para elas”, defende Sofia Colares Alves. Preocupada com as baixas taxas de reciclagem em Portugal e na Europa, a representante da Comissão Europeia em Portugal lembra que a estratégia dos plásticos está a andar, mas “temos de nos apressar senão vamos ficar afogados em plástico”

Carla Tomás

Carla Tomás

Jornalista

A iniciativa #EUandME, que procura transmitir aos jovens “as vantagens de ser cidadão da União Europeia” a vários níveis, entre os quais o ambiental, foi o mote para a conversa com Sofia Colares Alves. A jurista, que está há dois anos à frente da representação da Comissão Europeia (CE) em Portugal, falou das cinco curtas-metragens em digressão – entre as quais “Oona” (de Zaida Bergroth), um pequeno filme que conta a história de uma pré-adolescente que, como a maioria dos jovens da sua idade, prefere ficar em casa agarrada ao tablet, até que um dia se perde na floresta – , mas também da necessidade de as pessoas exigirem mais para que haja “maior maturidade política” e melhores decisões em Bruxelas.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)