Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Municípios só integraram metade dos precários

Muitos precários continuam sem ver a sua situação laboral resolvida, apesar de o Governo ter o compromisso de terminar o processo até ao final do ano. Sindicatos não acreditam

Tiago Miranda

Não é só o Estado Central que está atrasado na integração de precários. Nos municípios os atrasos também se acumulam, com a agravante de não terem sido abertas vagas para todos os precários.

Sónia M. Lourenço

Sónia M. Lourenço

texto

Jornalista

Tiago Miranda

Tiago Miranda

foto

Fotojornalista

São muitos os trabalhadores precários da Administração Local que continuam sem ver a sua situação laboral regularizada. Nos municípios, mais de metade não foram, até agora, integrados com um contrato de trabalho sem termo, e muitos vão mesmo ficar pelo caminho. É essa a conclusão a retirar de uma amostra de 34 municípios portugueses.

No final de agosto, um grupo de deputados do BE - José Soeiro, Isabel Pires e Carlos Matias - questionou as 308 câmaras municipais portuguesas (através de um requerimento da Assembleia da República) sobre a a aplicação do Programa de Regularização Extraordinária dos Vínculos Precários na Administração Pública (PREVPAP) à Administração Local, cuja conclusão deverá ocorrer até ao final deste ano. As respostas têm chegado a conta-gotas. São, até agora, 34 os municípios que já enviaram informação. Respostas que o Expresso analisou.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido