Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Draghi falou e os mercados não ficaram impressionados

A reunião do Banco Central Europeu (BCE) e a conferência de imprensa de Mario Draghi na quinta-feira foram seguidas com a atenção do costume em todo o mundo, mas não impressionaram os investidores.

As reações nos mercados foram suaves, o que não é necessariamente mau sinal. Significa que Draghi não trouxe novidades quanto à estratégia definida em junho e que, para já, os mercados estão confortáveis com a política monetária de Frankfurt. Tranquiliza-os a confirmação de que o banco central só poderá mexer nas taxas de juro depois do verão do próximo ano, não fazendo ondas numa área sensível que se repercutirá de imediato nos jurtos da dívida e nas taxas Euribor, ou seja, nos custos de financiamento da dívida pública, das empresas e das famílias.

O Banco Central Europeu (BCE) mantém a previsão de descontinuar o programa de compra de ativos, em particular de dívida pública no mercado secundário, a partir de 1 de janeiro, e vai comprar metade do que estava a adquirir já a partir de 1 de outubro, o que já se sabe desde junho. E Draghi voltou a sublinhar que, mesmo depois de fechar o programa de compra de nova dívida, o BCE não deixa de continuar a facilitar a vida aos Estados membros do euro. Vai continuar a reinvestir o capital que receber das amortizações dos títulos que tem em carteira. Para Portugal é ouro sobre azul, enquanto o pau vai e vem folga o financiamento da dívida, permitindo à Agência de Gestão da Tesouraria e da Dívida Pública (IGCP) realizar leilões onde a procura dos investidores aumenta e os juros que paga são historicamente baixos. Esta semana a instituição liderada por Cristina Casalinho pagou colocou €1000 milhões em títulos a 5 e 10 anos e conseguiu manter o recorde de se estar a financiar este ano em mínimo histórico, com o juro implícito das emissões de dívida em 1,9%.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido