Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Concorrentes da Ryanair não vão reduzir o peso e o tamanho da bagagem transportada gratuitamente

Foto Enric Fontcubierta

Easyjet, Transavia, Brussels Arlines e várias outras companhias low-cost contactadas pelo Expresso asseguram que não vão passar a cobrar a bagagem de cabina

A decisão da Ryanair de acabar com o transporte gratuito das malas e trolleys até 10 quilos que até agora podiam ser colocados no compartimento para bagagem situado por cima dos passageiros não vai ser seguida pelos principais concorrentes. O Expresso contactou esta sexta-feira 12 companhias low cost que operam em Portugal e, das 10 que responderam (Easyjet, Vueling, Transavia, Wizz Air, Brussels Airlines, Norwegian Air, Aer Lingus, TUI Fly, Blue Air e FLYBE), nenhuma admitiu ter planos para alterar a sua política de bagagem.

Apesar da garantia de que o transporte de malas de mão “continuará a ser gratuito”, a Brussels Airlines reconhece que o número crescente de trolleys levados para a cabina pelos passageiros “está a tornar-se um problema para todas as companhias”, aumentando os tempos de embarque e atrasando muitos voos. Para evitar essa sobrecarga, a transportadora oferece desde a primavera a possibilidade de os seus passageiros despacharem de graça a bagagem de mão.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)