Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

O lado surfista da Sonae

Thomas Fabre, diretor-geral da Deeply (à esquerda) e Ricardo Aragão, diretor de marketing, definiram uma estratégia de marca centrada na prancha, a olhar para o surf, mas também para o skate e para o snowboard Foto Rui Duarte Silva

Foto Rui Duarte Silva

Criada há quase década e meia a pensar no surf, a marca de vestuário e acessórios para este desporto de mar vai entrar agora no negócio do skate e, no próximo ano, no do snowboard. E, ao mesmo tempo, reforçar as vendas online e a presença fora de Península Ibérica

Na Deeply a prancha é quem mais ordena. No ADN da marca, criada em 2004, para servir a Sport Zone, está o surf, mas a estratégia de crescimento assenta na lógica dos 3S: “Surf, skate e snowboard”. Afinal, “50% dos surfistas têm skate, dizem os estudos nesta área” e diz Ricardo Aragão, diretor de marketing da insígnia, certo de que quem pratica a modalidade tem sempre a prancha por perto, no mar como na cidade ou na montanha.

Integrada no universo da Sonae Sports & Fashion, que fatura 589 milhões de euros e tem uma quota de 10,5% nas vendas do grupo Sonae, a Deeply começou por existir apenas no universo da Sport Zone, em Portugal e Espanha, mas nos últimos dois anos ganhou uma nova ambição e arriscou olhar para o mercado global.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)