Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Nelson Mandela: um legado da África do Sul para o mundo

Durante a campanha de 1994 em Durban. Mandela foi eleito o primeiro Presidente negro da África do Sul

Getty Images

Mandela continua a inspirar gerações de líderes e ativistas dos direitos humanos quando passa um século sobre o seu nascimento numa aldeia remota da África do Sul. Contra todos os desafios, o país passou de um regime racista de segregação a uma democracia com o seu contributo. As gerações seguintes herdaram um caminho aberto que podem trilhar agora em liberdade

Cristina Peres

Cristina Peres

Jornalista de Internacional

Dos quatro Presidentes eleitos no período pós-apartheid na África do Sul, dois foram destituídos. A média deste período iniciado em 1994 é ainda menos equilibrada se considerarmos que o quarto e atual, Cyril Ramaphosa, foi eleito pelo Parlamento sul-africano em fevereiro deste ano, na sequência da destituição do seu antecessor, Jacob Zuma.

O insucesso do Presidente Zuma espelhou a robustez das instituições sul-africanas e a maturidade política dos seus quadros, capazes que foram de julgar o chefe de Estado e voltar a partir em direção ao futuro. O país não saiu ileso e o retrocesso económico afeta a estrutura social fragilmente melhorada nestes anos. O trabalho de vida de Nelson Mandela (18 de julho de 1918-5 de dezembro de 2013) está patente na robustez do desenho da democracia institucional e justiça independente. Zuma será julgado, bem como o impacto dos seus malefícios e mau uso do poder.


Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)