Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

Declaração de António Saraiva a admitir salário mínimo acima dos €600 apanha de surpresa os outros patrões

Rui Duarte Silva

Meta dos €600 é do Governo e o presidente da CIP - Confederação Empresarial de Portugal admite um valor superior, chegando mesmo a dizer que “provavelmente as confederações patronais vão surpreender a sociedade portuguesa”. Em reação ao Expresso, os outros líderes patronais dizem que não sabiam de nada

A declaração de António Saraiva, presidente da CIP - Confederação Empresarial de Portugal, de que os patrões vão “surpreender a sociedade portuguesa” com um salário mínimo nacional (SMN) acima dos 600 euros em 2019 apanhou desprevenidos os empresários e as próprias associações patronais. As declarações de António Saraiva foram conhecidas durante o fim de semana em entrevista ao “Jornal de Negócios” e à Antena 1. O SMN é atualmente de 580 euros.

Em declarações ao Expresso, as demais confederações dizem que todas elas lutam por melhor os salários, mas, alegam, é preciso sensatez e uma avaliação da realidade de cada sector. Inaceitável é a redução do horário de trabalho, apontam. Mas o tema não foi concertado no âmbito da CIP e só está na agenda das direções associativas para depois das férias.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)