Siga-nos

Perfil

Expresso

Diário

“A saída dos Estados Unidos do Conselho para os Direitos Humanos prejudica principalmente Israel”

Os Estados Unidos retiraram-se do Conselho para os Direitos Humanos da ONU mas quem pode sofrer são os seus aliados

David McNew/getty

Um homem tentou, na retaguarda da diplomacia, evitar aquilo que viria a confirmar-se esta terça-feira, o abandono do Conselho para os Direitos Humanos das Nações Unidas pelos Estados Unidos, exasperados com aquilo que consideram a parcialidade com que Israel é tratado. Marc Limon, diretor do centro de investigação Universal Human Group, contou ao Expresso a história da sua tentativa falhada - para a qual Portugal contribuiu

Ana França

Ana França

Jornalista

Depois de meses de intensas críticas e ameaças, os Estados Unidos bateram com a porta do Conselho para os Direitos Humanos nas Nações Unidas, o mais importante organismo do mundo na monitorização deste sensível assunto, mas não isento de falhas. Na terça-feira, Nikky Haley, embaixadora dos Estados Unidos nas Nações Unidas, e Mike Pompeo, Secretário de Estado, foram juntos ao Departamento de Estado para anunciar a saída - e levaram um arsenal de palavras duras.

Halley considerou o Conselho uma “fossa sética de enviesamento político” devido ao foco permanente na questão israelo-palestiniana e a pouca atenção prestada a outros ataques aos direitos humanos, cometidos, por exemplo, na Venezuela e no Irão. “Infelizmente é agora claro que a nossa luta pela reforma deste organismo não deu frutos. Os países com pior cadastro nesta área continuam a ser eleitos e a fazer parte do Conselho. Os regimes mais desumanos escapam ao escrutínio e o Conselho continua a politizar e a utilizar como bode expiatório países com resultados positivos nesta área”, disse a embaixadora, numa referência a Israel.

Para continuar a ler o artigo, clique AQUI
(acesso gratuito para Assinantes ou basta usar o código que está na capa da revista E do Expresso, pode usar a app do Expresso - iOS e android - para fotografar o código e o acesso será logo concedido)