Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

Wimbledon: Isner vence Mahut após 11 horas de jogo

Ao fim de 11h05 de jogo, terminou a partida de ténis mais longa de sempre, com a vitória do norte-americano John Isner sobre o francês Nicolas Mahut, por 70-68, em Wimbledon.

O norte-americano John Isner afastou hoje o francês Nicolas Mahut, depois de se impor por 70-68 na quinta e última partida da primeira ronda do torneio de ténis de Wimbledon, no encontro mais longo de um "Grand Slam".

Isner, 23.º cabeça de série e 19.º do "ranking" ATP, fechou a quinta partida ao quebrar o serviço ao "qualifier" Mahut, concluindo em 8:11 horas o quinto "set", interrompido na quarta feira devido à falta de luz natural em Wimbledon, elevando para 11:05 horas o encontro, que venceu por 6-4, 3-6, 6-7 (7-9), 7-6 (7-3) e 70-68.

O anterior recorde, de 6:33 horas, perdurava há seis anos e tinha sido registado em três dias pelos franceses Fabrice Santoro e Arnaud Clement, com um quinto e decisivo "set" a 16-14 favorável a Santoro, após 6-4, 6-3, 6-7 (5-7) e 3-6, num épico que se arrastou por três dias.

 

John Isner concluíu a primeira partida em 32 minutos, superiorizando-se a Nicolas Mahut, por 6-4, enquanto no segundo "set" o francês esgotou 29 minutos para fechar com o parcial favorável. 

Na terceira partida, os dois tenistas tiveram de recorrer ao "tie-break", que Mahut venceu por 9-7, para fecharem o "set", a favor do gaulês, por 7-6, após 49 minutos. 

O norte-americano esgotou 1:04 horas para fechar a quarta partida com 7-6 (7-3) e igualar 2-2 em partidas, obrigando à disputa de um quinto "set", suspenso 10 horas após o início do encontro. 

Wimbledon e Open da Austrália são os únicos sem "tie-break"

O torneio de Wimbledon e o Open da Austrália, que se disputa em janeiro, são as únicas das quatro competições que integram o Grand Slam sem desempate por "tie-break" na quinta e última partida e Isner e Muhat estavam empatados em jogos (59-59) aquando da interrupção devido à falta de luz natural. 

O encontro foi retomado e concluído hoje com 70 jogos a favor do norte-americano contra os 68 do francês, estabelecendo-se ainda um novo recorde de jogos disputados (183) e de jogos no quinto "set (138), 

O encontro pulverizou todos os recordes do ténis. Um outro máximo que caiu foi o recorde de ases num só encontro, 96, registado num embate da Taça Davis entre Ivo Karlovic e Radek Stepanek. Karlovic estabeleceu nesse encontro um novo máximo individual, com 78. 

No encontro de hoje, Isner somou 112 "ases" e Mahut 103, o que equivale dizer que ambos bateram o anterior recorde total de ases num encontro de ténis. 

Volta a discussão sobre o quinto "set"

A verdade é que o encontro oficial com maior duração jamais realizado permitiu reavivar a discussão sobre a regra adotada por Wimbledon e Open da Austrália de não consagrar o quinto e último "set" sem "tie-break". 

Em 2008, no Open da Austrália, a questão já tinha sido aflorada após o encontro entre o suíço Roger Federer e o sérvio Janko Tipsarevic, cuja quinta e última partida teve a duração de 04:30 horas. 

Federer seguiu em frente no "major" australiano, com o resultado de 6-7, 7-6, 5-7, 6-1 e 10-8, lançando a discussão sobre a regra, com jogadores e médicos a contestarem a regra do "tie-break". 

O "tie-break" foi introduzido em 1970 pelo norte-americano James van Alen. 

Em 1971, a organização do torneio de Wimbledon adota o "tie-break" em qualquer partida que se atingisse 8-8 em jogos, exceto no quinto e último "set". 

Em 1979, regista-se uma mudança, com o "tie-break" a disputar-se quando num "set" se verificar um empate a seis jogos, regra que continua até aos dias de hoje.  

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.