Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

Vitória em Coimbra sela pleno do dragão

O campeão continua imparável. Sétima jornada, sétimo triunfo, com golo de "El Comandante" Lucho Gonzalez.

Ricardo Capela

É incontornável. A Bwin Liga temporada 2007/2008 está a decorrer sob o signo do dragão. Sete jogos, sete vitórias, 21 pontos, e sete de vantagem sobre o Sporting, segundo classificado, em igualdade com o Marítimo.

Em Coimbra, uma grande penalidade cometida sobre Quaresma e convertida por Lucho Gonzalez foi suficiente para o líder somar mais três pontos, num jogo marcado ainda pela lesão de Bosingwa e pela novidade de, pela primeira vez esta temporada, Jesualdo Ferreira ter repetido um onze inicial.

Durante 90 minutos, o FC Porto foi sempre uma equipa mais controladora do que dominadora, actuando em gestão de esforço e permitindo à Académica continuar a acreditar até ao final do jogo. A "briosa" não conseguiu chegar ao empate e somou a primeira derrota na era Domingos Paciência.

O FC Porto venceu por 1-0 num jogo que, afinal, não teve grandes motivos de interesse. Culpa da Académica, diz Lucho Gonzalez. "Nunca saíram de trás", sublinhou o argentino.

Sabor prolongado no tempo

No final do jogo, Jesualdo Ferreira estava naturalmente satisfeito, e salientou a boa série da equipa, ainda 100 por cento vitoriosa no campeonato. Para o professor esta será, no entanto, uma vitória "com sabor prolongado no tempo". É que vem aí uma paragem para compromissos das selecções.

"Suámos e esforçámo-nos muito. De qualquer forma, penso que foi uma vitória justa, perante uma Académica que na parte final do encontro foi à procura do golo, mas acabou por não colocar em risco a nossa estrutura defensiva. Ficam os parabéns para os jogadores, que souberam sofrer e aguentar o desgaste. Este é um registo importante porque no FC Porto já não há muito para fazer, porque já se ganhou tudo. Mas esta vitória vai ter um sabor prolongado no tempo porque só vamos voltar a jogar a 23 de Outubro", disse o treinador azul-e-branco.

Do outro lado, Domingos Paciência aceitou o resultado, embora assumisse que a Académica talvez merecesse um golo. "No último terço [do tempo] não estivemos tão clarividentes. Mesmo assim ficam os parabéns aos jogadores, que fizeram tudo o que era possível para tentar virar o resultado, mas infelizmente não foi possível. Pelo que fizemos na segunda parte merecíamos pelo menos o golo. Vamos continuar a trabalhar para melhorar. Acredito que podemos fazer coisas bonitas", disse o ex-internacional português.