Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

Villas-Boas: "Sou mais clone de Robson do que de Mourinho"

Na apresentação como novo treinador do FC Porto, André Villas-Boas garantiu que irá deixar a sua marca no "dragão" mas optou por não fazer promessas por cheirar "a repetição".

Isabel Paulo (www.expresso.pt)

Aos 32 anos e após nove meses de experiência como treinador principal na Académica, André Villas-Boas chegou ao FC porto confessando "empatia total" com o clube onde ajudou a vencer dois campeonatos nacionais, a Taça UEFA e a Liga dos Campeões.

Na apresentação oficial como sucessor de Jesualdo Ferreira, Villas-Boas não quis fazer promessas à moda de José Mourinho em 2002, quando "um predestinado" afiançou que iria ser campeão na época seguinte.

Apesar do estilo mais contido do que o do actual técnico do Real Madrid, mesmo assim Villas-Boas não deixou os créditos por mãos alheias: "Incompetente é coisa que não sou", frisou.

Plantel dá todas as garantias de sucesso

O anunciado treinador do FC Porto dsecansou ainda os sócios e simpatizantes azuis-e-brancos, sustentando que "qualquer plantel do FC Porto dá garantias de sucesso", além de ter "todos os meios à disposição para vencer".

Para evitar mais comparações com Mourinho, de quem se emancipou em Outubro, Villas-Boas recorreu ao humor, ao observar ser "mais um clone" de Bobby Robson, seu antigo vizinho na Foz, no Porto.

"Tenho ascendência inglesa, nariz grande e gosto de beber vinho", comentou.

Ao contrário do que era a tradição no FC Porto, a contratação de Villas-Boas não foi uma surpresa, circulando no Porto desde Abril o nome de Villas-Boas com uma das hipóteses mais prováveis para render Jesualdo Ferreira.

Esteve perto do Sporting

Desde que chegou a Portugal em Outubro, vindo do Inter, Villas-Boas depressa se tornou num técnico cobiçado. Sondado para suceder a Paulo Bento no Sporting um mês após ter começado a trabalhar na Académica, o ex-observador das equipas adversárias de Mourinho optou por ficar em Coimbra.

Em Abril, com a equipa de Carlos Carvalhal em queda, voltou de novo a ser apontado como futuro técnico do Sporting, assédio refutado como "palhaçada" por Villas-Boas. A veemência do comentário do então técnico da Académica levou, então, José Eduardo Bettencourt a desmentir o pretenso convite em termos oficiais na CMVM.