Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

Só Miccoli venceu Lobont

Benfica sofreu e só conseguiu a vitória no último minuto. PSG venceu na Grécia e está perto de ser o próximo adversário de Benfica ou Dínamo Bucareste.

Dois meses depois, o regresso do futebol europeu trouxe muitos golos e algumas surpresas. Na Turquia, Fenerbahçe e AZ Alkmaar protagonizaram um grande jogo, que terminou com uma igualdade a três golos, resultado que deixa boas perspectivas aos holandeses, adversários do Sporting de Braga na fase de grupos.

Em Leverkusen, o Blackburn perdeu por 3-2, mas a derrota deixa, ainda assim, boas perspectivas à equipa de Benny McCarthy. A maior surpresa foi o empate cedido pelo CSKA Moscovo, em casa, diante do Maccabi Haifa, sem golos. Na Grécia, o PSG surpreendeu o AEK Atenas, vencendo por 2-0. A equipa de Pauleta tem, assim, um pé nos oitavos-de-final, onde será, caso confirme a sua presença, o adversário de Benfica ou Dínamo de Bucareste.

Perto do apuramento está também o Werder Bremen, de Hugo Almeida e Diego, que venceu o Ajax por 3-0, na Alemanha.

Um gigante chamado Lobont

Começaram da melhor forma os 1/16 da Taça UEFA o Benfica. Venceu, na Luz, o Dínamo de Bucareste, por 1-0, conseguindo os dois principais objectivos que Fernando Santos tinha anunciado: ganhar e não sofrer golos.

Ainda assim, o resultado não permite ao encarnados uma deslocação tranquila a Bucareste já que, a jogar perante os seus adeptos, os romenos irão, certamente, arriscar mais do que em Lisboa.

O jogo foi, durante os 90 minutos, de sentido único. Fernando Santos anunciara que o Dínamo era uma equipa inteligente, que sabia adormecer o jogo e controlar os seus ritmos, e assim foi.

O futebol dos romenos não foi brilhante, mas teve o mérito de conseguir irritar os jogadores do Benfica, beneficiando, também, de alguma ansiedade que estes demonstraram.

A tudo isto, os romenos contaram ainda com um guarda-redes muito inspirado. Lobont teve, na Luz, uma noite simplesmente brilhante. Nuno Gomes tentou, na primeira parte, por duas vezes, mas em ambas o ex-guardião de Ajax e Fiorentina esteve melhor. E, com estas duas oportunidades do avançado benfiquista, se resumem os primeiros 45 minutos.

Vitória ao cair do pano

Ao intervalo, Fernando Santos trocou Petit por Miccoli, mas a tendência do jogo manteve-se, e, à ansiedade dos jogadores, começava a juntar-se a impaciência dos adeptos. Simão tentou, mas Lobont defendeu. Voltou a tentar, mas a barra não deixou. Na recarga, o remate de Miccoli parecia destinado, mas Lobont voltou a negar o golo.

O final do jogo aproximava-se e pairava no ar o cenário de novo empate a zero na Luz, depois do nulo frente ao Boavista. Mas Miccoli não esteve pelos ajustes. Rui Costa centrou, Simão rematou, Lobont voltou a ser gigante, mas o pequeno italiano, novamente na recarga, não perdoou e fez o golo da vitória. Faltava um minuto para os 90. Até final, nada de relevante aconteceu.

O Benfica viaja para Bucareste com uma vantagem curta, porém preciosa, e que se espera suficiente para garantir o apuramento. O futebol português agradece e, diga-se, bem precisa.

 

TAÇA UEFA

. Shakhtar Donetsk (Ucrânia) – Nancy (França), 1-1

. Bordéus (França) – Osasuna (Espanha), 0-0

. CSKA Moscovo (Rússia) – Maccabi Haifa (Israel), 0-0

. Leverkusen (Alemanha) – Blackburn (Inglaterra), 3-2

. Hapoel Telavive (Israel) – Rangers (Escócia), 2-1

. Livorno (Itália) – Espanhol (Espanha), 1-2

. Fenerbahçe (Turquia) – AZ Alkmaar (Holanda), 3-3

. Werder Bremen (Alemanha) – Ajax (Holanda), 3-0

. AEK Atenas (Grécia) – PSG (França), 0-2

. BENFICA (PORTUGAL) – Dínamo Bucareste (Roménia), 1-0