Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

Paulo Sérgio quer reforçar toda a equipa

Fernando Veludo/LUSA

O novo treinador do Sporting, Paulo Sérgio, admite reforçar todos os setores da equipa, mas prefere esperar pelos timings certos. Veja o vídeo no final do texto.

O treinador de futebol do Sporting, Paulo Sérgio, garantiu hoje que ainda espera por novos reforços para todos os setores da equipa, mas disse que é preferível não haver precipitações e esperar pelos "timings" certos.

"Estamos há espera de mais reforços, mas não falo de nomes que não estão no grupo. Estamos no terreno nesse sentido, o ideal seria no dia 21 termos o grupo fechado, mas isso não existe em parte nenhuma, ainda para mais com o Mundial", afirmou na primeira conferência de imprensa do ano.

O treinador explicou que "não quer precipitações" na escolha dos jogadores, referindo que é preferível "esperar pelos timings ideiais" para formar o grupo pretendido.

Extremo, médio, defesa central, ponta de lança e guarda-redes na lista

Paulo Sérgio recusou comentar os nomes que têm surgido na imprensa, apesar de considerar Alan e Eduardo, jogadores do Sporting de Braga, bons jogadores.

"Continuamos à procura de um extremo, um médio, um defesa central, um ponta lança com característica diferentes e um guarda-redes, fundamentalmente é isto", explicou.

"Além de um médio canhoto queremos também um médio box to box, um jogador agressivo e possante que possa ser 6, mas também box to box", acrescentou.

O novo treinador explicou depois a situação de Hugo Viana, referindo também que está a entender-se "às mil maravilhas" com Marat Izmailov e que conta com o médio russo.

"O Hugo era uma possível ajuda para o grupo. Na temporada passada, ao contrário de algumas anteriores, fez uma época regular, bastante boa. Na procura de ter um médio canhoto via com bons olhos que fosse o Hugo Viana, mas as negociações não chegaram a bom porto", salientou.

Paulo Sérgio fez ainda um balanço positivo da pré-época até ao momento, elogiando o empenho e inteligência do grupo de trabalho, que considera que tem assimilado as suas ideias com facilidade, apesar de afirmar que os jogadores "se podiam ter cuidado melhor nas férias".

Paulo Sérgio confia nos jogadores

"Qualquer atleta que sinta desconforto levanta o braço e eu confio, perde-se um dia e não uma semana. Não quero um herói burro, que quer ir a todas, nem um cobarde, que não lhe apetece e diz para parar. Quero gente séria e uma relação de confiança", afirmou.

Em relação a objetivos, o técnico garante que pretende lutar pelos títulos.

"A fasquia está em ganhar todos os fins de semana para disputar o título e as taças. Na Liga Europa é ir o mais longe possível. Nas minhas equipas, o que me identifico é que cada um, dentro da organização coletiva, deixe tudo no campo. Quando não conseguirmos que seja por mérito do adversário e não por demérito nosso", salientou.

Paulo Sérgio referiu que após ter treinado na primeira semana um sistema com dois pontas de lança, vai trabalhar um outro sistema esta semana, mas defendeu que "os princípios variam muito pouco".

O treinador esclareceu também a situação dos capitães de equipa, garantindo que João Moutinho vai continuar nesse grupo.

"Não tenho um capitão e não há votos. Eu sugiro, e normalmente aceitam. Se eu pudesse opinar quando lhe deram a braçadeira, com 19 ou 20 anos, numa altura precoce, agora mais maduro seria o processo ao contrário. O João será um dos meus capitães", concluiu.