Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

Pato: o nascimento de um fenómeno

Marcou um e participou em mais dois na vitória do Milan (5-2) sobre o Nápoles, no último fim-de-semana. San Siro viu nascer o trio "Ka-Pa-Ro". Veja o vídeo no final do texto.

Ricardo Capela

Alexandre Pato teve uma estreia de luxo com a camisola do AC Milan. Além de ter marcado o quinto golo dos rossoneri na vitória (5-2) diante do Nápoles, no último fim-de-semana, o jovem avançado brasileiro participou activamente nos dois primeiros tentos da sua equipa.

Pato, contudo, não foi o único a brilhar no Giuseppe Meazza. Ronaldo voltou aos golos, marcando o primeiro (15') e terceiro (46') golos do AC Milan. Seedorf (31') e Kaká (68') também deixaram a sua marca goleadora, enquanto o tento de Pato, num lance em que ficou vincada a sua enorme categoria, surgiu aos 74'.

No dia em que San Siro assistiu à primeira vitória caseira do Milan esta temporada - tinha, até ontem, cinco empates e duas derrotas nos sete encontros disputados -, o mítico estádio, construído para o Mundial de Itália-90, viu nascer um novo trio de ataque. "Ka-Pa-Ro", como já foi baptizado, junta Kaká, Pato e Ronaldo e promete infernizar a vida às defesas contrárias.

Quem é Alexandre Pato?

Alexandre Rodrigues da Silva é nome de craque. Talvez dito assim soe a pouco - ou nada - mas se falarmos em Alexandre Pato, então todos saberemos de quem se trata.

Nasceu no Brasil, no dia 2 de Setembro de 1989, em Pato Branco, estado do Paraná, e deu-se a conhecer ao mundo do futebol com a camisola do Internacional de Porto Alegre.

Em Junho de 2006, com apenas 16 anos de idade, Pato disputou o Campeonato Brasileiro sub-20 pelo Internacional, contra adversários bem mais velhos. Mesmo assim, foi o melhor marcador da competição. Marcou sete golos e sagrou-se campeão, vencendo na final o rival Grémio (4-0).

A sua estreia na equipa principal do Internacional aconteceu em Novembro de 2006 e gerou grande expectativa junto de adeptos e dirigentes do clube, que via já nascer um craque. O clube protegeu-o até ao Mundial de Clubes, utilizando-o apenas em uma ocasião. Aí foi lançado, e deixou a sua marca.

Chegou ao Japão com 17 anos e, no seu segundo jogo, quebrou um recorde com quase 50 anos, que pertencia a Pele: marcou o primeiro golo do Internacional na vitória sobre o Al-Ahly, de Manuel José, e tornou-se o mais jovem jogador de sempre a marcar golos numa competição oficial - sem restrição de idades - da FIFA. Tinha 17 anos e 102 dias, menos 137 dias do que tinha pele quando marcou o golo da vitória do Brasil sobre o País de Gales, corria então o dia 19 de Junho de 1958.

Na temporada de 2007, participou em quatro competições ao serviço do Internacional, e marcou em todos os jogos de estreia. Estreou-se no Campeonato Gáucho no dia 24 de Fevereiro, contra o Veranópolis e fez um golo na vitória da sua equipa (2-1). Três dias depois, estreou-se na Libertadores, contra o Emelec, e marcou um golo na vitória do colorado (3-0). Foi preciso esperar pelo dia 13 de Maio para assistir à sua estreia no Brasileirão. Contra o Botafogo, o Inter perdeu (3-2), mas Pato marcou. Finalmrente, estreou-se na Recopa, contra o Pachuca, e voltou a fazer um golo, apesar de a sua equipa ter saído derrotada (2-1).

Transferiu-se para o Milan no início desta temporada por uma verba superior a 14 milhões de euros. Por ser menor de idade, não pôde ser inscrito em provas oficiais mas, uma vez mais, manteve a tradição de marcar na estreia. Num encontro particular realizado na Ucrânia, frente ao Dínamo de Kiev, Pato marcou um golo no empate a dois.

Já com 18 anos, e ultrapassados alguns problemas burocráticos, estreou-se este fim-de-semana na Serie A. Marcou um golo, claro, e participou em outros dois. Nasceu (mais) uma estrela no futebol brasileiro.