Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

Marian Had regressa ao Lokomotiv Moscovo

Em seis meses de leão ao peito, o eslovaco nunca convenceu. Regressa à precedência com números tímidos: 454 minutos, divididos entre Bwin Liga, Carlsber Cup e Liga dos Campeões.

Ricardo Capela

Marian Had já não é jogador do Sporting. O defesa-esquerdo regressa ao Lokomotiv Moscovo, clube que o emprestou aos leões no início da temporada. O acordo era válido até final da época, mas a chegada de Grimi ao Sporting apressou a saída de Had, que não conseguiu convencer.

Até agora, Had era a segunda opção de Paulo Bento para a lateral-esquerda, depois de Ronny. No entanto, a aposta parece agora recair no reforço Grimi, o que faz com que o internacional eslovaco visse o seu espaço (ainda mais) reduzido. E se, até agora, os números não eram famosos, dificilmente iriam melhorar. Assim sendo, a solução encontrada pelos responsáveis leoninos foi a devolução do atleta à precedência, um acordo que foi facilmente conseguido.

Marian Had parte hoje para a Turquia, onde o Lokomotiv Moscovo se encontra a preparar a temporada, que na Rússia tem início marcado para Março, já depois do rigoroso Inverno de Leste.

Números tímidos

No Sporting, Had nunca pareceu uma opção válida para Paulo Bento. Chegou de forma surpreendente, como um ilustre desconhecido que vinha preencher uma zona débil do plantel. Pareceu sempre uma opção de recurso, falhado o empréstimo de Grimi. Agora, confirma-se a teoria: o argentino, um sonho antigo de Paulo Bento chegou, Marian Had vai sair.

No primeiro jogo da temporada, nem Had nem Ronny foram titulares. Na Supertaça, Paulo Bento entregou a lateral esquerda a Pedro Silva, que se lesionou aos sete minutos, abrindo as portas da titularidade a Ronny. Had manteve-se na sombra.

Em seis meses de leão ao peito, os números são, no mínimo, tímidos: um total de 454 minutos, divididos entre Bwin Liga (174), Carlsberg Cup (180) e Liga dos Campeões (90). Muito pouco tempo para mostrar algo mas, mesmo nesses minutos, o eslovaco nunca pareceu conseguir fazer a diferença. Duro a defender, inexistente a atacar, será lembrado em Alvalade como mais uma contratação falhada.