Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

Justine Henin abandona profissionalismo

A líder do "ranking" mundial feminino nas últimas 117 semanas justificou o final da carreira com a falta de motivação.

A belga Justine Henin, líder do "ranking" mundial de ténis, anunciou hoje o fim da sua carreira profissional, durante uma conferência de imprensa.

"Estou aqui para vos anunciar que vou pôr termo definitivo à minha carreira", declarou a tenista a meio da tarde, confirmando deste modo as informações avançadas pela imprensa matutina do seu país de origem.

Henin foi clara ao afirmar que era uma "página" que se virava, justificando não sentir mais a "motivação necessária" para continuar na alta roda do ténis, embora pretenda investir numa academia para jovens tenistas, a criar na Bélgica.

Em vésperas de cumprir o 26º aniversário (1 de Junho), Henis havia iniciado na segunda-feira a 117ª semana consecutiva na liderança da classificação da Associação das Jogadoras Profissionais de ténis (WTA).

Ao longo da sua carreira, a jogadora de Liège conquistou sete títulos do 'Grand Slam': quatro em Roland Garros, dois no US Open e um no Open da Austrália. Só na relva de Wimbledon a belga não conseguiu triunfar.

Campeã olímpica em título, Henin pareceu algo fatigada no início de 2008, após uma temporada de 2007 a todos os níveis excepcional, durante a qual venceu 10 torneios - entre os quais Roland Garros e o US Open, sem perder um "set" - em 14, registando 63 vitórias contra apenas quatro derrotas.

Na semana passada, a tenista belga admitiu ter "falta de chama" após a eliminação frente à russa Dinara Safina, na 3ª ronda do torneio de Berlim.

Em Abril, no torneio de Miami, a nr. 1 mundial sofreu uma pesada derrota frente à norte-americana Serena Williams (6/2 e 6/0) e na altura pareceu bastante afectada pelo desaire.

Um ano após a sua compatriota Kim Clijsters, também antiga líder do "ranking" mundial feminino, ter anunciado o fim da carreira, agora foi a vez de Henin 'pendurar' a raqueta.