Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

Fotogaleria: Thomas Bjorn conquista Open Portugal em golfe

O dinamarquês Thomas Bjorn conquistou o 54.º Open de Portugal em golfe, disputado na Penha Longa. Veja algumas das melhores imagens da prova.

Mariana Cabral (www.expresso.pt)

O dinamarquês Thomas Bjorn conquistou hoje o título do 54.º Open de Portugal em golfe, ao completar as quatro voltas ao percurso da Penha Longa (72) com 265 pancadas (67+65+65+68), 23 abaixo do PAR. 

Na segunda posição, com mais cinco "shots", ficou o australiano Richard Green, com 270 (67+69+64+70), e na terceira o também dinamarquês Mark Haastrup, com 272 (67+68+70+67). 

Thomas Bjorn liderou a prova desde a segunda volta -- partilhou o primeiro posto com o espanhol Carlos del Moral --, mas na terceira isolou-se no topo e hoje geriu uma vantagem de três pancadas, marcando no cartão cinco "birdies" (nos buracos 5, 6, 14, 15 e 18) e um "bogey" (16). 

O jogador de 39 anos arrecadou um prémio de 166 660 euros pela conquista do seu 10.º torneio no Circuito Europeu, tornando-se o primeiro dinamarquês a vencer o Open de Portugal. 

"É sempre bom ganhar. Hoje [domingo] tive um percurso algo irregular, mas consegui dar a volta quando precisava e terminei muito bem o torneio", disse Bjorn, admitindo algum "nervosismo" durante a última volta, com o vento a dificultar as trajetórias. 

Bjorn não vencia um torneio do Circuito Europeu desde 2006

O dinamarquês não vencia um torneio do Circuito Europeu desde 2006, quando arrebatou o Open da Irlanda, e afirmou que estava determinado a não deixar escapar esta oportunidade. 

"Estava determinado em não deixar que nada me atrapalhasse e, mesmo quando falhei alguns 'putts', continuei a lutar. Sabia que se não cometesse erros nos últimos buracos, teria grandes possibilidades de vencer, o que veio a verificar-se", referiu. 

Thomas Bjorn, que fez parte seleção europeia que venceu a Ryder Cup em 1997 e 2002, estava feliz pela conquista e garantiu que gostaria de defender o título no próximo ano. 

Open não correu bem a Filipe Lima

Quanto ao português Filipe Lima, arrecadou 2750 euros, tendo terminado o "Open" no grupo dos 57/os classificados, com um agregado de 287 pancadas (71+71+70+75), uma abaixo do PAR, depois de fazer quatro "birdies", dois "bogeys", um "duplo-bogey" e um "triplo-bogey". 

"Nos três últimos dias joguei muito bem. Hoje foi mais difícil, porque o campo também era mais difícil e acabei por fazer algumas asneiras", disse Filipe Lima, lamentando o "triplo-bogey" que marcou no final do "front nine".

"No nove passou-se algo que nunca me tinha acontecido antes. Estava na estrada, à direita, quis 'dropar', o árbitro deixou-me 'dropar' sem penalidade, mas a bola bateu no 'tee' e foi contra uma raiz. Se não batesse no 'tee', fazia PAR", afirmou. 

O 54.º Open de Portugal, segunda de três provas do Circuito Europeu que se realiza este ano em solo português, ofereceu um milhão de euros em prémios monetários. 

*** Este texto foi escrito ao abrigo do Novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.