Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

Federer quase eliminado em Wimbledon

Roger Federer e Nikolay Davydenko estiveram à beira da eliminação no primeiro dia do torneio de ténis de Wimbledon, marcado pelo afastamento da campeã de Roland Garros, Francesca Schiavone.

Roger Federer e Nikolay Davydenko estiveram à beira da eliminação no primeiro dia do torneio de ténis de Wimbledon, marcado pelo afastamento da campeã de Roland Garros, Francesca Schiavone, e pelo 'serão' mais longo da história de Wimbledon. 

Numa maratona de três horas e 51 minutos, o sérvio Novak Djokovic derrotou o belga Olivier Rochus (4-6, 6-2, 3-6, 6-4 e 6-2) no encontro mais tardio da história de Wimbledon, que terminou às 22:58, ou seja, 19 minutos mais tarde do que o confronto entre Andy Murray e Stanislau Wawrinka no ano passado.

O confronto foi interrompido pelo cair da noite após o terceiro 'set' e terminou sob a luz dos projetores do teto retrátil do 'court' central, utilizado pela primeira vez nesta edição, depois de inaugurado no ano passado.

Mais cedo, esteve à vista uma enorme surpresa, com o suíço Federer a virar uma desvantagem de 2-0 em 'sets' antes de afastar o pouco cotado colombiano Alejandro Falla, pelos parciais de 5-7, 4-6, 6-4, 7-6 (7-1) e 6-0. 

Federer seis vezes campeão em Wimbledon

Federer, seis vezes campeão em Wimbledon, admitiu a qualidade do ténis do seu adversário, número 62 do 'ranking' mundial: "Ele fez um grande jogo, pressionou-me". 

O suíço, que perdeu o 'trono' mundial do ténis masculino para Rafael Nadal, ao ser eliminado nos quartos de final de Roland Garros, não vence um torneio desde o triunfo no Open da Austrália e a sua última presença em finais aconteceu domingo, em Halle, Alemanha, tendo perdido frente ao australiano Lleyton Hewitt. 

Davydenko também este perto de sair já na primeira ronda

O russo Davydenko também esteve prestes a despedir-se prematuramente de Wimbledon, após ter perdido os dois primeiros 'sets' frente ao poderoso servidor sul-africano Kevin Anderson.  

Davydenko, que também não é um especialista reconhecido em relva, tendo sido afastado na primeira ronda por cinco vezes em nove presenças em Wimbledon, acabaria por vencer, pelos parciais de 3-6, 6-7 (3-7), 7-6 (7-3), 7-5 e 9-7. 

O norte-americano Andy Roddick, finalista vencido da última edição, também garantiu a passagem à ronda seguinte, na qual defrontará o francês Michael Llodra, ao bater o seu compatriota Rajeev Ram, por 6-3, 6-2 e 6-2.

Francesca Schiavone foi eliminada

No setor feminino, a italiana Francesca Schiavone perdeu em três 'sets' com a 56.ª do 'ranking' mundial, a russa Vera Dushevina, pelos parciais de 6-7 (0-7), 7-5 e 6-1. 

Schiavone voltou a mostrar que não é uma especialista na superfície de relva e, em dez participações em Wimbledon, perdeu três vezes na primeira ronda e quatro na segunda, estando também a pagar os custos da inevitável descompressão após a inesperada vitória na terra batida parisiense. 

"Foi muito duro. A superfície é diferente, as sensações também", admitiu a italiana. 

A última jogadora que conseguiu fazer a "dobradinha" Roland Garros/Wimbledon foi a norte-americana Serena Williams, em 2002.  

Serena será, aliás, a adversária da portuguesa Michelle Brito, na terça feira, no encontro que abre o programa do "court" central, na primeira eliminatória na presente edição da etapa londrina do Grand Slam. 

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.