Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

FC Porto dominou Belenenses

Mariano, aos 15 minutos, e Hulk, com um potente remate aos 84, traduziram em golos a vantagem dos 'dragões' por 2-0. (Visite o dossiê do Campeonato da I Liga)

O tricampeão FC Porto iniciou hoje a defesa do título com uma vitória tranquila sobre o Belenenses (2-0), no Dragão, em jogo da jornada inaugural da Liga portuguesa de futebol.

Mariano, aos 15 minutos, e Hulk, com um potente remate aos 84, traduziram em golos a vantagem dos "dragões", que dominaram e controlaram o Belenenses a seu bel-prazer, neste arranque de campeonato.

Antes do início do encontro, o FC Porto recebeu do presidente da Federação Portuguesa de futebol (FPF), Gilberto Madaíl -- acolhido com um coro de assobios -, o troféu de campeão nacional de 2007/08.

Com Mariano e Tomás Costa no "onze", rendendo Farias e Guarin em relação ao jogo da Supertaça com o Sporting, o FC Porto entrou bem na partida, apesar do susto sofrido aos 34 segundos num cabeçeamento de Marcelo.

A dominar e a pressionar a linha defensiva do Belenenses, o FC Porto dispôs da primeira oportunidade de perigo por Raul Meireles, aos 04 minutos, mas o remate forte saiu ao lado da baliza do guarda-redes Júlio César.

A supremacia indiscutível dos portistas rendeu o primeiro golo aos 15 minutos por Mariano, quando China atirou contra as pernas do argentino na tentativa de alivar a bola defendida pelo guarda-redes Júlio César, após remate de Lisandro.

O Belenenses só aos 20 minutos conseguiu aliviar o cerco à sua baliza e, na sequência de uma eficaz troca de bola, Cândido Costa surgiu em boa situação para rematar, mas o tiro saiu por cima da baliza de Helton.

A jogar bem na antecipação e a forçar o erro ao Belenenses, o FC Porto dispôs de nova ocasião para marcar por Lisandro, aos 30 minutos, na sequência de uma intercepção a um deficiente atraso, mas o remate saiu ao lado.

Após um período algo morno, o FC Porto voltou a cair em cima do Belenenses, com bonitas jogadas sul-americanas entre Lucho, Mariano, Rodriguez e Lisandro, e até o defesa Sapunaru, na sequência de um canto, aos 34 minutos, procurou o golo.

Ainda antes do intervalo, e depois de Matheus ter cabeceado ao lado da baliza de Helton, aos 39 minutos, o FC Porto esteve perto de elevar a vantagem por Mariano, aos 43, mas o potente remate saiu ao poste esquerdo.

O FC Porto manteve a mesma toada de jogo na segunda parte e esteve perto de marcar por Lisandro, aos 52 minutos, mas o argentino voltou a não ser feliz na concretização após interceptar um mau atraso.

Benitez, aos 67 minutos, lançado por Cristian Rodriguez na esquerda, surgiu integrado na linha ofensiva portista e, já dentro da área do Belenenses, viu o golo negado pelo guarda-redes Júlio César.

O Belenenses só na marcação de bolas paradas levava o perigo à baliza dos "dragões", como aconteceu por João Paulo, aos 70 minutos, e José Pedro, aos 77, quase sempre sem provocar grandes problemas a Helton.

O FC Porto elevou a vantagem pelo brasileiro Hulk, aos 84 minutos, que fez jus às características com que chegou esta época ao FC Porto, rematando potente e colocado ao ângulo da baliza defendida por Júlio César.

Até ao final do jogo, que decorreu em ritmo vivo, foi o FC Porto que esteve sempre mais perto do dilatar a vantagem, o que esteve perto de acontecer por Lucho, aos 87 minutos, mas o remate saiu ao lado.

"Foi uma vitória clara, fomos inteligentes e tivemos muita paciência", referiu Jesualdo Ferreira, acrescentando que a equipa "soube gerir a bola" e manteve o Belenenses sempre sob "pressão alta".

O técnico recordou que "este jogo, por ser o primeiro da Liga e em casa, tinha uma carga emocional grande", ainda por cima "contra um adversário que na última época tinha roubado um ponto no Dragão".

A estratégia do FC Porto passou por "impor um ritmo intenso e chegar cedo ao golo", o que veio a acontecer aos 15 minutos, por Mariano, mas depois varias oportunidades para elevar a vantagem não foram conseguidas. Ainda de acordo com Jesualdo Ferreira, o Belenenses, tirando partido de alguma fadiga de jogadores portistas, envolvidos nos jogos das suas selecções, sabia o que tinha a fazer e apostava no desgaste físico.

"Foi um jogo tranquilo dentro dos nossos parâmetros de observação", referiu Jesualdo, reconhecendo que o Belenenses é uma equipa forte nos lances de bola parada, que foram os que levaram mais problemas ao FC Porto.

O treinador Casimiro Mior considerou que o Belenenses entrou na partida para jogar, fechar os espaços ao FC Porto, mas buscar também oportunidades de golo, como o fez no primeiro lance de perigo do encontro. "Faltou poder de fogo na frente", admitiu Casimiro Mior, reconhecendo que a sua equipa está a evoluir e já esteve melhor do que no último jogo.

Ainda de acordo com Casimiro Mior, que direccionou algumas críticas ao critério "tendencioso" do árbitro, o jogo "foi equilibrado" e o primeiro golo do FC Porto nasceu de um erro do Belenenses.

    Sexta-feira:

  • Vitória Guimarães - Vitória Setúbal (1-1)
  • Sábado:

  • Paços Ferreira - Sporting Braga (0-2)
  • Sporting - Trofense (3-1)
  • Domingo:

  • Estrela da Amadora - Académica (1-0)
  • Naval 1 Maio - Marítimo (1-0)
  • Leixões - Nacional (1-3)
  • FC Porto-Belenenses (2-0)
  • Rio Ave - Benfica (21h15, Sport.TV1)

Campeonato da I Liga