Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

E enfim, o "leão" renasceu

Em Alvalade, Vukcevic e Izmailov fizeram os golos de um triunfo importante. FC Porto atacou, atacou, mas esta era a noite do "leão".

Ricardo Capela

O Sporting venceu o FC Porto (2-0) no primeiro clássico de 2008. Em Alvalade, o FC Porto até teve mais oportunidades, mas a noite era do "leão" e a eficácia da equipa de Paulo Bento ditou o desfecho final.

A história do jogo pode contar-se em pouco menos do que cinco minutos. Aos 13 minutos, Vukcevic confirmou o bom momento que vive e colocou o Sporting em vantagem, com um desvio de pé esquerdo a um centro de Izmailov, que contou com a preciosa colaboração de Helton, que deu aquilo a que na gíria futebolística se chama de "frango".

O golo fez o FC Porto abanar e, dois minutos depois, o Sporting fez o segundo golo. Centro de Pereirinha - grande exibição - desvio de Vukcevic ao primeiro posta, defesa de Helton e golo de Izmailov, na recarga. Mas o segundo golo do Sporting foi obtido em posição irregular, já que Vukcevic estava fora-de-jogo quando desviou a bola.

Com este triunfo, o Sporting reduziu para onze os pontos de desvantagem em relação ao FC Porto e recuperou o terceiro lugar, ultrapassando o Vitória de Guimarães. Quem também saiu beneficiado foi o Benfica, que ganhou três pontos em relação ao líder e está agora a oito de distância.

FC Porto dominador, Sporting eficaz

O FC Porto foi sempre a equipa mais dominadora, criou mais oportunidades, mas não conseguiu concretizar. Lisandro tentou vezes sem conta, Farias também, Quaresma, Raul Meireles, Lucho, todos tentaram, mas nunca conseguiram bater Rui Patrício.

Ao contrário, o Sporting fez golo nas duas primeiras vezes que conseguiu chegar à baliza do FC Porto e, até ao fim, apenas em mais um par de ocasiões conseguiu incomodar Helton, a última das quais numa flagrante ocasião de Liedson.

No final, a vitória sorriu ao leão, para alegria dos cerca de 40 mil adeptos que se deslocaram a Alvalade. Um triunfo que pode ser muito importante para fazer levantar a moral do Sporting e fazer o leão sair da crise em que tem estado mergulhado.

Bento e Jesualdo em desacordo

No final do jogo, os dois treinadores não mostraram consonância na reacção ao jogo. Enquanto Jesualdo Ferreira considerou injusto o resultado, elogiando a exibição da equipa, que apelidou de "dominadora", Paulo Bento disse que o triunfo assenta bem no Sporting, ainda que aceitasse que os números talvez tenham sido exagerados.

"Conseguimos o objectivo principal, que era ganhar. Na primeira parte, sobretudo na fase inicial, revelámos grande eficácia. Passámos por grandes dificuldades pela qualidade do FC Porto, que nos obrigou a jogar com o bloco mais baixo. Valeu-nos a nossa organização defensiva e a nossa grande capacidade de sofrimento. Se ainda sonho com o título? Sou mais conhecido pelo pragmatismo. O Sporting deve pensar em chegar à Liga dos Campeões, porque tem uma diferença considerável para o FC Porto. Compete-nos fazer o mesmo que nos campeonatos anteriores. Estamos numa posição que foi a mais habitual no Sporting nos últimos 27 anos. Esta foi uma vitória importante, justa, ainda que talvez a vantagem mínima se ajustasse mais ao que se viu dentro de campo", disse Paulo Bento.

Do lado azul-e-branco, Jesualdo Ferreira lamentou ainda a dualidade de critérios da equipa de arbitragem, referindo-se à posição irregular de Vukcevic no segundo golo e ao lance anulado a Lisandro por fora-de-jogo, então ainda com o resultado empatado a zero.

"O FC Porto fez uma exibição muito boa. Entrámos bem, houve momentos em que fomos avassaladores, tivemos ocasiões para marcar e matar o jogo. Depois, houve um lance ilegal anulado ao FC Porto e outro ilegal que não o foi ao Sporting. É diferente estar 1-0 ou 2-0. Os jogadores confiaram que podiam dar a volta ao marcador. O resultado é mentiroso, mas reforçou a nossa confiança e sorrimos como equipa. Foi um jogo em que o Sporting foi feliz, mas em que o FC Porto foi melhor", disse.