Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

Clubes aprovam atribuição do estatuto de agente desportivo a "stewards"

Liga Portuguesa de Futebol Profissional aprovou em assembleia geral um acordo de princípio para a atribuição do estatuto de agente desportivo aos "stewards".

A Liga Portuguesa de Futebol Profissional (LPFP) aprovou hoje em assembleia geral alterações pontuais aos regulamentos e um acordo de princípio para a atribuição do estatuto de agente desportivo aos "stewards". 

As conclusões foram comunicadas no final da assembleia geral pelo presidente do Gil Vicente, António Fiúza, que considerou que "o futebol, os clubes e a própria Liga saíram em grande do encontro". 

"Foram vários os temas abordados, desde aspetos relacionados com a disciplina, arbitragem -- esta com dois pontos irrelevantes -- e falou-se ainda da situação dos 'stewards' serem ou não agentes desportivos", disse. 

FC Porto defendeu "stewards" como agentes desportivos, ao contrário do que sucedeu na defesa dos casos Hulk e Sapunaru

A proposta apresentada pelo FC Porto, que era inversa ao da sua defesa nos casos de Hulk e Sapunaru, no sentido de conferir o estatuto de agentes desportivos aos "stewards", esteve também em cima da mesa. 

"Em princípio passam a ser agentes desportivos. As polémicas anteriores foram desnecessárias, porque houve aproveitamento desta situação, que não interessa nem aos clubes nem à Liga", referiu António Fiúza. 

O presidente gilista, improvisado porta-voz dos trabalhos da assembleia, referiu que para o êxito da reunião magna muito contribuíram as várias reuniões prévias preparatórias, de estudo e análise. 

"Só assim foi possível que a assembleia geral de hoje fosse positiva, rápida e frutífera. No fundo, os clubes votam todos a favor de alterações do interesse comum", explicou o dirigente gilista. 

Entre as propostas aprovadas de alteração aos regulamentos de competições, arbitragem e disciplinar encontra-se o agravamento do quadro disciplinar por agressões várias, quer a jogadores quer a espetadores.