Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

Benfica já está nos quartos

Vitória por 3-1 sobre o PSG coloca encarnados a duas rondas da final. Sevilha também segue em frente, com grande reviravolta e golo do... guarda-redes.

O Benfica já está nos quartos-de-final da Taça UEFA. Os encarnados venceram o PSG por 3-1, e carimbaram o passaporte para a ronda seguinte, ficando apenas a duas eliminatórias da grande final, que se realiza em Glasgow, na Escócia.

Depois de perder em Paris por 2-1, o Benfica entrou na Luz decidido a dar a volta à eliminatória. Assim, logo aos 11 minutos, Simão fez o 1-0 e, aos 26, Petit fez o segundo, deixando a situação bem encaminhada e os adeptos que encheram o estádio satisfeitos.

O pior aconteceu aos 31 minutos, quando Pauleta fez o 2-1, empatando por completo a eliminatória. O golo que apurou o Benfica surgiu apenas aos 87 minutos, com o capitão Simão a bisar, convertendo uma grande penalidade a castigar falta sobre Léo.

Excesso de confiança

No final do encontro, Fernando Santos reconheceu, durante o flash-interview da RTP, a justiça do resultado, mas reconheceu que a equipa se empolgou em demasia:

"A equipa empolgou-se de mais. O PSG tentou corresponder. Depois, pegámos no jogo, podíamos ter feito três ou quatro golos e os jogadores empolgaram-se. Acabámos por sofrer um golo que abalou um pouco a nossa equipa. Eu disse aos jogadores no intervalo que ia ser sofrido e que tinha de acabar o empolgamento. Tinha a estratégia de jogar com três avançados para o final e fomos melhores no computo geral. O PSG não teve oportunidades na segunda parte. Nós tivemos mais e por isso fomos uns juntos vencedores."

O técnico encarnado esclareceu ainda a opção por Moretto, que não agradou aos adeptos, conhecida que é a preferência destes por Moreira: "O Moretto é a opção que eu tinha tomado de acordo com os treinos. Há três bons guarda-redes no Benfica. Eu optei pelo Quim para primeiro guarda-redes e pelo Moretto como segunda opção", disse o engenheiro.

Venha quem vier

A duas rondas de conseguir atingir a final, os jogadores do Benfica não têm, neste momento, preferência em relação ao próximo adversário, dada a valia de todos. João Coimbra foi o porta-voz dessa posição do grupo, dizendo que "agora as equipas são todas muito difíceis" e que "qualquer que seja o adversário, o objectivo é dar o máximo e passar mais uma eliminatória".

Nos outros jogos, e para demonstrar o que afirmou João Coimbra, as equipas mais fortes seguiram em frente.

Na Ucrânia, o Sevilha protagonizou uma reviravolta épica. Depois do empate a dois em Espanha, os andaluzes viram-se em desvantagem por 2-1 aos 83 minutos, e só conseguiram o empate aos 94, com um golo de Palop. Nada de estranho, até aqui, não fosse Palop o guarda-redes da equipa de Duda.

O jogo seguiu, assim, para o prolongamento, onde os sevilhanos conseguiram o 3-2 que lhes permitiu seguir em frente e continuar a sonhar com a revalidação do título.

Na Holanda, o AZ também seguiu em frente, ultrapassando o Newcastle. A equipa holandesa venceu por 2-0, depois de ter perdido em Inglaterra por 4-2, passando aos quartos devido à vantagem conseguida pelos golos obtidos no terreno do adversário.

No outro jogo, o Espanhol de Barcelona confirmou o favoritismo e, depois de empatar em Israel, venceu o Maccabi Haifa por 4-0.

TAÇA UEFA: OITAVOS-DE-FINAL

. BENFICA (PORTUGAL) – PSG (França), 3-1 (1-2)*

. Espanhol (Espanha) – Maccabi Haifa (Israel), 4-0 (0-0)*

. AZ Alkmaar (Holanda) – Newcastle (Inglaterra), 2-0 (2-4)*

. Shakthar Donetsk (Ucrânia) – Sevilha (Espanha), 2-3 (a.p.) (2-2)*

* entre parênteses o resultado da primeira-mão