Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

Benfica e FC Porto procuram imitar Sporting

Depois do triunfo dos leões em Kiev, os outros grandes tentam mais vitórias que possam ajudar a tirar Portugal da zona vermelha do "ranking" da UEFA.

Ricardo Capela

Benfica e FC Porto jogam hoje para a segunda jornada da fase de grupos da Liga dos Campeões (19h45). Ambos os jogos encerram cartadas importantes para as duas equipas, depois de resultados menos positivos na primeira ronda. Depois da vitória do Sporting em Kiev, pede-se aos outros dois grandes do futebol português que imitem o leão.

O Benfica recebe os ucranianos do Shakhtar Donetsk. Um jogo difícil, contra uma formação que Camacho afirma ser "mais ou menos como o Sporting", em termos tácticos. Pode sê-lo, ou não, mas é, por certo, uma equipa muito "latinizada". Senão, olhe-se para o onze provável e veja-se que, do meio-campo para a frente, estarão quatro brasileiros (Ilsinho, Fernandinho, Jadson e Brandão) e a estrela mexicana Nery Castillo. Além destes, no banco ainda se sentarão dois ex-possíveis reforços do Benfica: o brasileiro Willian e o italiano Cristiano Lucarelli.

Do lado encarnado, Camacho deverá apostar na mesma equipa que iniciou o jogo contra o Sporting, e o central Luisão já lançou o alerta: "o empate seria muito mau, porque jogamos em casa e nos próximos dois jogos [Shakhtar e Celtic] temos a responsabilidade de somar seis pontos."

O internacional brasileiro mostrou-se "feliz por poder ajudar", atestando que as lesões fazem já parte do passado. Luisão deixou ainda o aviso para a qualidade dos brasileiros do Shakhtar, para os quais o patrão da defesa encarnada considera que a equipa deve guardar uma "especial atenção", ao mesmo tempo que desvalorizou a crise de golos do Benfica, distribuindo culpas por toda a equipa. "Não podemos apontar o dedo apenas aos avançados", disse.

FC Porto no inferno turco

O FC Porto tem uma difícil deslocação à Turquia, depois de na primeira jornada ter empatado (1-1) no Dragão com o Liverpool. Frente ao Besiktas, do ex-sportinguista Rodrigo Tello, os azuis-e-brancos vão ter pela frente uma equipa forte e uns adeptos... fanáticos. De tal forma que o sector do estádio que está destinado aos "ultras" do clube turco é, literalmente, uma gaiola, coberta por grande e rede a toda a volta. Além disso, todos os adeptos que aí assistem aos jogos são revistados individualmente pela polícia.

Do lado do FC Porto, espera-se que Jesualdo Ferreira aposte no seu melhor onze. Para já, e quando apenas João Paulo está indisponível por lesão, a maior dúvida está em torno da utilização de Stepanov ou de Pedro Emanuel ao lado de Bruno Alves, no centro da defesa. O sérvio parece, porém, em vantagem, já que tem dado boa conta do recado nos últimos encontros e, também, porque no ano passado actuava na Turquia tendo, por isso, um melhor conhecimento do adversário.

No Besiktas, onde Tello já é ídolo, a grande ausência é o brasileiro Ricardinho, estrela da equipa, que se encontra lesionado. O brasileiro Bobô e o francês Edouard Cissé são, a par de Tello, as principais referências da equipa comandada por Ertugrul Saglam.

Tirar o "ranking" da "red line"

Além da importância desportiva que os jogos têm, naturalmente, para Benfica e FC Porto, existe ainda uma questão relativa: o "ranking" de Portugal na UEFA. Na primeira jornada, um empate e seis derrotas em sete jogos deixaram o país em má posição, e nem a vitória do Sporting em Kiev alterou a situação.

Assim, há muitos pontos para somar, até porque, a manter-se a situação, Portugal arrisca perder duas equipas nas provas europeias. Neste momento, Portugal ocupa o nono lugar, muito perto da Holanda e com uma vantagem relativamente confortável sobre a Ucrânia, que fecha os dez primeiros.

Mas o oitavo classificado tem apenas direito a uma equipa directamente na fase de grupos na Liga dos Campeões e outra na pré-eliminatória, mais duas na Taça UEFA, uma das quais na segunda eliminatória. O sexto classificado do "ranking" coloca duas equipas directamente na Liga dos Campeões e uma na terceira pré-eliminatória, além de três na Taça UEFA, situação que se verifica actualmente no futebol português. Os efeitos do "ranking" desta época sentir-se-ão na temporada de 2009/10.