Siga-nos

Perfil

Expresso

Tribuna

Augusto Inácio abandona Naval 1.º Maio

O treinador da Naval 1.º de Maio, Augusto Inácio, vai abandonar o comando técnico da equipa, revelou o presidente do clube, Aprígio Santos

O treinador da Naval 1.º de Maio, Augusto Inácio, vai abandonar o comando técnico daequipa, disse hoje à Agência Lusa o presidente do clube da Liga portuguesa de futebol, Aprígio Santos. 

"Divergências inultrapassáveis" foram as justificações dadas por Augusto Inácio para não prosseguir na Naval, tendo treinador e presidente dado a conhecer o desenlace no final de uma reunião entre ambos. 

Dirigente e treinador reuniram-se na manhã de hoje, assumindo no final da reunião a rotura das negociações. 

"A Naval perdeu um grande treinador. A vida do futebol é assim e o meu desejo vai no sentido de que o Inácio tenha no prosseguimento da sua carreira os mesmos êxitos que teve aqui", disse Aprígio Santos. 

Augusto Inácio, após quatro anos a trabalhar além fronteiras, assumiu a Naval à quinta jornada da temporada passada quando esta ocupava o penúltimo lugar da tabela da Liga, acabando por levar a equipa à sua melhor classificação de sempre na Liga, oitavo lugar. 

Inácio não revela quais as "divergências inultrapassáveis"

"É o fim de um ciclo. Saio de consciência tranquila e deixo sinal de agradecimento por ter trabalhado num grande clube. Fica uma grande relação de amizade e solidariedade com todos quantos trabalhei, nomeadamente com o presidente Aprígio Santos, direi mesmo altamente reforçada", garantiu o treinador. 

Questionado sobre as divergências inultrapassáveis, Inácio escusou-se a revelá-las, mas esclareceu não terem nada a ver com questões financeiras.

Em relação ao futuro técnico, Aprígio Santos garantiu não ter qualquer nome em vista e que só a partir de quinta feira vai iniciar o processo do novo treinador. 

*** Este texto foi escrito ao abrigo do novo Acordo Ortográfico ***

Clique para ler a Nota da Direcção do Expresso sobre o novo Acordo Ortográfico.