Siga-nos

Perfil

Expresso

Ócio

Cabaret Maxime fecha no fim de janeiro

É definitivo. A festa de encerramento do Cabaret Maxime está marcada para o dia 29. Em causa está um diferendo entre a gerência do espaço noturno lisboeta e a empresa que gere o imóvel.

Cátia Loureiro (www.expresso.pt)

O Cabaret Maxime foi inaugurado nos anos 40, na Praça da Alegria, em Lisboa. Agora está prestes a fechar as portas, já que a gerência do espaço e a entidade proprietária do imóvel, a Joing, não chegam a acordo.

O diferendo prende-se com a falta de licenciamento de umas obras realizadas nas décadas de 60 e 70, que já tinham obrigado o Maxime a fechar durante seis meses. Pelos vistos, o problema não ficou resolvido. O sócio Manuel João Vieira diz que a Joing ficou responsável por tratar do licenciamento, uma vez que as obras não foram da responsabilidade da atual gerência. Contudo, nada foi feito.

O caso seguiu para tribunal e a Joing "interpôs uma providência cautelar para sairmos", conta Manuel João Vieira, acrescentando: "mas nós ganhámos". O vocalista das bandas Ena Pá 2000, Irmãos Catita e Corações de Atum diz ainda que "poderíamos estar [no espaço] mais um ano, mas achamos que não há condições. Estamos em litígio com essa empresa, o ambiente não é favorável para prosseguir o negócio."

O Cabaret Maxime encerra dia 29 de janeiro com a festa derradeira - "Auf Wiedersehen Maxime Goodbye". Nas palavras de Manuel João Vieira será "uma festa tremenda, soberba, excessiva, inesquecível, um acontecimento bestial com implicações no próprio Produto Interno Bruto, e até no clima do planeta, uma festa que até os nossos bisnetos irão relembrar com saudade!"

No entanto, a gerência revelou que está já à procura de um novo espaço para a mítica sala de espetáculos.