Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Empresa norte-americana pode registar como marca uma saudação tradicional do Fiji? O país contesta 

Será uma forma abusiva de apropriação cultural por parte de uma empresa sem qualquer relação com aquela nação insular do Pacífico

Luís M. Faria

Jornalista


O Fiji vai contestar em tribunal uma empresa norte-americana que registou a marca 'bula'. A palavra é uma saudação tradicional nessa nação insular do Pacífico, e a sua monopolização comercial por parte de uma cadeia de bares e cafés na Florida é uma forma abusiva de apropriação cultural por parte de entidades (a empresa e o seu proprietário, um norte-americano chamado Ross Kashtan) que não têm qualquer relação pessoal com Fiji.
A única possível relação seria o facto de os estabelecimentos de Kashtan servirem kava, uma bebida vagamente narcótica associada com Fiji. Mas parece que a empresa nem sequer importa a bebida de Fiji, e sim de Vanuatu, outra nação do Pacífico.
Um professor da Universidade do Havai oriundo de Fiji, Tarisi Vunidilo, disse, citado pela RNZ, Rádio da Nova Zelândia, que Kashtan devia ter começado por contactar a embaixada do seu país nos Estados Unidos. "Devia ter sido a sua primeira paragem. Eles lá têm uma secção de negócios. E se precisasse de mais aconselhamento, há o conselho empresarial de Fiji". Caso tenha a ver com a kava, também há um organismo específico para isso no Fiji, explicou.