Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

Projeto da bela Casa de Portugal em Madrid continua vazio

Um centro cultural e diplomático, onde também se iria instalar o Instituto Camões, e que pretendia ser a imagem de marca de Portugal em Espanha, continua por ocupar

O belo quarteirão no centro de Madrid onde se iria albergar a Casa de Portugal continua desocupado. Há já dois anos que foram feitas diligências para instalar no edifício estilo art deco, assinado em 1926 pelo arquiteto Luis Bellido y González, com cerca de 2.700 metros quadrados, um centro cultural, diplomático e económico. Também estava pensado albergar ali o Instituto Camões e, segundo uma notícia avançada este domingo pelo jornal "El Pais", a câmara municipal da cidade pretendia ceder a propriedade deste edifício a Portugal. "Esta seria a primeira vez que uma Casa de Portugal se iria instalar na capital ibérica e seria um projeto pioneiro, para se afirmar como a nossa imagem em Espanha", garantiu há um ano uma fonte da embaixada portuguesa. "Mas continua em desuso há mais de dois anos e tudo parece indicar que isso continuará por algum tempo", escreve o diário espanhol.

A concretização da obra tornou-se inviável durante a crise, mas, refere a mesma fonte da embaixada, "não se descarta a possibilidade de retomar o projeto "quando a situação económica melhorar". Naquela altura, um delegado da embaixada veio visitar o edifício e deu sua aprovação." E, adianta o El Pais, "a Câmara Municipal entregou um projeto de reabilitação, referindo que Portugal queria que o centro tivesse um auditório para realizar eventos culturais" e "exigiu" uma reforma.

Entretanto, "Portugal nunca chegou a datar os trabalhos e, de facto, o acordo oficial não foi assinado."

Há poucos dias foi anunciado que a Câmara Municipal de Madrid pretende vender todos os prédios municipais que se encontram em desuso, ou que não são necessários. "Estará a Casa de Portugal entre eles?", interroga o diário espanhol.