Siga-nos

Perfil

Expresso

Cultura

“Otelo” invade TNSJ onde Gil Vicente e Beckett se encontram num “blind date”

A peça "Otelo" é um dos destaques da programação do Teatro Nacional São João para ver até ao final do ano

João Tuna

A programação do Teatro Nacional São João para o próximo quadrimestre conta com mais de duas dezenas de espetáculos, onde se incluem três produções próprias, com destaque para a peça “Otelo”, de Shakespeare

A rentrée cultural do Teatro Nacional São João, no Porto, traz “Otelo”, obra de William Shakespeare, como cabeça de cartaz, “tragédia de excelência” apresentada entre 28 de setembro e 13 de outubro. Assim descreve o encenador e diretor artístico do TNSJ, Nuno Carinhas, em evidência ao longo dos próximos quatro meses, fazendo também uma incursão - acompanhado por Pedro Sobrado - até um “blind date” criativo entre Gil Vicente e Samuel Beckett. O espetáculo leva-nos até “Uma Noite no Futuro”, estreada a 13 de dezembro no Teatro Carlos Alberto (TeCA), ficando em cena até dia 22 do mesmo mês. A programação arranca a 12 de setembro com o Colexpa - Festival Internacional de Exploração Sonora.

Diz a sabedoria popular que não há duas sem três e Nuno Carinhas é também o responsável cénico pelo recital de fado, intitulado “Em fio breve o coração”, dirigido por Miguel Amaral e estreado a 1 de outubro, no Mosteiro de São Bento da Vitória, para assinalar o Dia Mundial da Música.

Setembro traz também a estreia de “Imóvel”, com encenação de Hugo Cruz e texto de Regina Guimarães, peça que deambula, entre os dias 19 e 23, entre o TeCA e uma sala de reuniões de um condomínio portuense, na Rua Mártires da Liberdade. Trata-se de uma viagem pensada para refletir a cidade e a cidadania, “reivindicando o desejo de voltarmos a estar juntos, em comunidade”, pode ler-se no texto de apresentação.

Entre os dias 26 e 30 do mesmo mês, o Teatro Carlos Alberto vai “Ter Razão”, o mais recente projeto do coletivo “Ensemble”, com texto original e encenado por Ricardo Alves, da companhia “Palmilha Dentada”. O espetáculo dá palco a diferentes gerações de atores, que conversam em cena sobre aqueles que querem a todo o custo ter razão, com a reflexão a ter luz verde para temas igualmente importantes, como os problemas de estacionamento e dos engarrafamentos monumentais.

O TeCA abre as portas ao regresso do encenador Nuno Cardoso à programação do TNSJ. Depois de ter apresentado, no ano passado, os “Veraneantes” de Gorki, o criador volta-se agora para autores contemporâneos, levando à cena “Bella Figura”, da francesa Yasmina Reza. A peça estreia-se a 2 de novembro e pode ser vista até dia 4, “mostrando um corpo social em adiantado estado de decomposição”.

A oferta cultural engloba igualmente uma trilogia de Luigi Pirandello, entre 15 e 25 de novembro, no Teatro Carlos Alberto, onde se incluem “O Homem com a Flor na Boca”, “Sonho” e “Cecè”. Também o encenador Gonçalo Amorim, diretor da companhia Teatro Experimental do Porto, apresenta, entre 6 e 16 de dezembro, no TNSJ, a sua “Verdade ou Consequência”, último capítulo da saga “Trilogia da Juventude”.

A 8 de novembro é a vez do dramaturgo britânico Martin Crimp visitar o Teatro Carlos Alberto para uma conferência, moderada por Maria Sequeira Mendes, inserida no programa do “Fórum do Futuro”. A iniciativa serve de antecâmara para a estreia nacional, em março de 2019, no TNSJ, da peça “The Rest Will Be Familiar to You from Cinema”, escrita a partir da tragédia grega “As Fenícias” de Eurípedes.

A programação integral pode ser consultada AQUI.